11 maio, 2020
por Daniel Geraldes
122
1246

Brasil tem novo fornecedor de Ômega 3

Brasil tem novo fornecedor de Ômega 3.

A companhia argentina GIHON firma parceria estratégica com as empresas Ayamo e Kenya para o fornecimento de Ômega 3, no Brasil

Por: Lia Freire

A empresa argentina GIHON – Laboratórios Químicos S.R.L., fundada em 1991 na cidade portuária de Mar Del Plata, inicialmente se especializou no desenvolvimento e produção de produtos químicos orgânicos complexos API (Ingredientes Farmacêuticos Ativos) voltados para as indústrias farmacêutica e veterinária. Com os anos, diversificou o seu portfólio para a área de produtos naturais. Como resultado desta nova estratégia, construiu uma planta especialmente para a produção de Ômega 3, de alto valor nutritivo, devido à qualidade das matérias-primas marinhas obtidas a partir das águas do Atlântico Sul Marplatense, do Brasil e, também, do Peru.
Começou, então, a produzir óleos refinados, branqueados e desodorizados com níveis distintos de Ômega 3, cumprindo todos os parâmetros requeridos pela GOED (Global Organization for EPA & DHA) e iniciou a comercialização adaptando-se às necessidades pontuais, o que os levou a conquistar uma parte significativa do mercado argentino. Agora, a empresa traz o seu know-how em Ômega 3 para o Brasil. Em entrevista à Revista Óleos & Gorduras, os executivos da GIHON, o Diretor de Garantia da Qualidade e Pesquisa e Desenvolvimento, Alberto Chevalier e o Diretor Comercial, Ricardo Chevalier, falam sobre este importante investimento e como o trabalho será realizado por meio da parceria com a Ayamo Global Foods, que tem como responsável pelo projeto, Humberto Zart, e com a empresa Kenya, além das pretensões e objetivos.

Revista Óleos & Gorduras – Quando a empresa iniciou as suas atividades no Brasil?
Ricardo Chevalier – Sempre tivemos o objetivo de atuar no mercado brasileiro por sua importância e potencial, por isso, há 25 anos exportamos a nossa linha farmoquímica para o país, tendo como representante para esta divisão, a empresa Merck Millipore. Agora para a linha de produtos naturais em geral e, mais especificamente, para o Ômega 3 temos a aliança estratégica com a Ayamo Global Foods – empresa que atua no comércio internacional de alimentos, especializada em pescados, carnes (frango, suíno e bovino) e produtos para nutrição animal. São quatro anos de muita conversa e trabalho, período em que pudemos comprovar a empatia e coincidência em nossas formas de trabalho e que nos leva a apresentar formalmente o novo negócio. Esta aliança se completa com a Indústria de Farinha de Peixe Kenya onde será armazenado os nossos produtos em seus depósitos/armazéns em Itajaí (SC) e de onde será feita a distribuição para todo o Brasil.

Revista Óleos & Gorduras – Em relação às linhas de produtos, quais serão disponibilizadas à indústria brasileira?
Alberto Chevalier – Traremos linhas tanto para o consumo humano, inclusive já realizamos as primeiras vendas, quanto animal (para esta finalidade já obtivemos o registro no MAPA).

Revista Óleos & Gorduras – Sobre o mercado de Ômega 3, no Brasil, como vem sendo a demanda?
Ricardo Chevalier – Percebemos um crescimento do óleo de peixe no consumo humano, que busca cada vez mais qualidade e segurança no fornecimento. Quanto ao óleo para consumo animal, estamos no segundo maior mercado pet food do mundo, por isso, apostamos na crescente demanda, embora com a pandemia do COVID-19, devemos sentir uma curva ascendente.

Revista Óleos & Gorduras – Quais as características e benefícios no consumo do Ômega 3?
Alberto Chevalier – Oferecemos várias opções em Ômega 3, dependendo da origem da matéria-prima biológica inicial (monoespécies brutas, óleos multiespécies etc.) e do mercado-alvo (animal, pet food ou humano). Todos têm um denominador comum: a qualidade e o processo de produção garantidos sob rígidos padrões internacionais de qualidade, de segurança alimentar e boas práticas de fabricação. Quanto aos benefícios, podemos dizer o seguinte: os Ômegas 3 compõem uma família de ácidos graxos poli-insaturados, cujos principais expoentes são EPA e DHA. Estes são altamente valorizados devido o efeito benéfico na saúde e na nutrição humana e animal. Os ácidos graxos Ômegas 3 marinhos são recomendados pelas autoridades em nutrição e saúde em todo o mundo. O consumo de EPA está associado à proteção da saúde cardiovascular, diminuindo o colesterol e triglicerídeos. Além disso, reduz a pressão arterial vascular e apresenta efeitos antitrombóticos e anti-inflamatórios. Recentemente, o consumo de EPA tem sido demonstrado como um efeito protetor das arritmias cardíacas, que é uma das principais causas de infarto do miocárdio. Já o consumo de DHA é essencial para o sistema nervoso, cognitivo e visual de humanos e mamíferos. Permite atividade neuronal, particularmente os processos de aprendizado e memória. Portanto, está intimamente ligado ao desenvolvimento da inteligência humana. Foi demonstrado que o seu consumo durante a fase pré-natal é altamente benéfico. Pode diminuir depressão pós-parto ou diabetes na gravidez, protege os neurônios, prevenindo a morte precoce (apoptose) e o desenvolvimento de doenças neurodegenerativas como Alzheimer, Parkinson, Huntington, Friedrich Ataxia etc. Todos estes benefícios estão comprovados em estudos e pesquisas científicas divulgados em publicações de reconhecimento científico internacional.

Revista Óleos & Gorduras – Quais os diferenciais do Ômega 3 produzidos pela GIHON?
Alberto Chevalier – Sem dúvida, é a qualidade. Temos um processo de desenvolvimento com detalhes de inovação e uma planta industrial apta para receber auditorias de conformidade com os padrões de qualidade e segurança alimentar. Também oferecemos uma variedade de óleos com diferentes níveis de Ômega 3. Vale destacar que nossas plantas e produtos já foram aprovados por empresas do setor pet food de renome internacional, que usam nossos óleos, continuamente, há alguns anos.

Revista Óleos & Gorduras – Quais as expectativas em relação à chegada do Ômega 3 produzido por vocês?
Alberto Chevalier – As expectativas estão baseadas no reconhecimento dos nossos produtos por sua qualidade, atendendo aos padrões exigidos pelos clientes e pelo serviço eficiente e constante que a Ayamo fornecerá. À medida que o mercado utiliza nossos produtos e comprove a eficiência dos serviços, pretendemos expandir a nossa atuação. Nossa política é sempre buscar a melhoria e o desenvolvimento contínuos. É, por isso, que estamos trabalhando há dois anos nesta “nova geração” de concentrados Ômega 3. Construímos uma fábrica dedicada à produção de concentrados de ácidos graxos poli-insaturados por destilação molecular, com previsão de entrar em operação até o final de 2020 onde poderemos produzir óleos com concentrações muito mais altas de Ômega 3 do que as encontradas naturalmente (geralmente entre 15% a 37%), variando entre 50%, 60%, 70%, 80% até 90%, sendo as concentrações mais elevadas voltadas ao abastecimento dos mercados farmoquímico e de medicamentos. Além disso, esses mesmos concentrados poderão ser usados em nossa nova divisão de Micro e Nanotecnologia, que será anexa ao nosso atual parque industrial, e que inauguraremos até o final deste ano. Temos como propósito produzir soluções sob encomenda, atendendo as necessidades dos clientes.

Revista Óleos & Gorduras – Qual a estrutura que a empresa mantém no Brasil para realizar as vendas e o atendimento pós-venda?
Ricardo Chevalier – As empresas Ayamo e Kenya trabalharão na importação dos produtos que produzimos na Argentina, inclusive serão os responsáveis pela logística e distribuição para os clientes, visando a desburocratização e o acesso aos produtos.

Revista Óleos & Gorduras – Foram muitos os desafios para entrar no mercado brasileiro?
Ricardo Chevalier – Nos sentimos confortáveis em trabalhar no mercado brasileiro. Exceto por questões futebolísticas, somos povos empáticos!!! Os argentinos amam o Brasil, seu povo e seu jeito de ser aberto e feliz. O Brasil é um mercado muito interessante devido à sua escala e potencial de desenvolvimento. Mas, também encontramos muita burocracia, embora não seja diferente do que encontramos na Argentina. Porém, decidimos começar a jornada e enfrentar o que era necessário para obter os registros e aprovações necessários; e assim o fizemos, mas não sozinhos. Nada disso poderíamos ter conseguido sem o trabalho em equipe com nossos parceiros da Ayamo e, também, com a boa vontade e o acompanhamento da Kenya. Portanto, a mensagem e o ensinamento que a nossa experiência nos negócios, há mais de 30 anos, nos deixa é que é muito importante escolher os parceiros certos, que nos acompanharão no longo caminho. E, temos certeza de que fizemos as melhores escolhas.

Revista Óleos & Gorduras – De modo geral, qual a pretensão da GIHON?
Ricardo Chevalier – Nossa pretensão é desenvolver clientes nos mercados de nutrição humana e animal. Tendo dito isso, é importante destacar que não estamos interessados em comercializar pontualmente, mas que nossa estratégia visa construir e fidelizar consumidores/clientes com base na qualidade, conformidade com os contratos de fornecimento e entrega pontual de produtos. Estamos convencidos de que devemos fazer parte da engrenagem produtiva dos clientes e que precisamos ser previsíveis e confiáveis. O mercado é um “jogo” em que os dois participantes devem sair ganhando. Dessa forma, os acordos serão de longo prazo. Fortalecer a nós mesmos no mercado, crescer junto com nossos clientes e desenvolver novos produtos. É isso que pretendemos, e não é pouco!!! Aproveitamos para convidá-los a visitar o nosso stand durante a edição 2020 da FENAGRA – EXPO ÓLEOS & GORDURAS. Esperamos vocês!!!

PUBLICAÇÃO EXCLUSIVA DA REVISTA ÓLEOS & GORDURAS.
PROIBIDO A REPRODUÇÃO PARCIAL OU EXCLUSIVA SEM AUTORIZAÇÃO DA EDITORA STILO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Graxaria
  • Óleos e Gorduras
  • Pet Food
  • Aqua Feed
  • Animal Feed
  • Espuma
Aguarde...

Cadastre-se

Aguarde...

Esqueci minha senha

Aguarde...
Translate »