13 dez, 2019
por Daniel Geraldes
121
3432

Bunge lança gorduras vegetais para substituir carne

A produtora de óleos e gorduras vegetais dos EUA, Bunge Loders Croklaan (BLC), introduziu uma variedade de gorduras vegetais projetadas para reproduzir as características sensoriais da carne a ser substituída, informou a empresa.

As gorduras vegetais são feitas a partir de óleo de palma e manteiga de karité e  possuem perfis de fusão únicos que podem ser aplicados como ingrediente essencial de gordura para hambúrgueres sem carne, disse a BLC.

“Ambos podem oferecer um sabor suculento na boca e sabor total, sem vazamento de óleo ou fumaça excessiva na superfície de cozimento.”

“Um número significativo de consumidores europeus vem adotando uma versão do estilo de vida vegano ou flexitariano”, explicou Feike Swennenhuis, diretor de marketing da BLC Europe. “Estes consumidores buscam alternativas sustentáveis de carne que possam proporcionar a mesma experiência alimentar.”

A Euromonitor International, informou que 24% dos consumidores globais pesquisados tentam reduzir o consumo de carne, o que impulsiona as vendas de substitutos globais atingindo cerca de US$ 19,5 bilhões em 2018.

De acordo com o Innova Market Insights, os substitutos de carne representaram 11% dos lançamentos de novos produtos de carne (carne, aves e substitutos de carne) reportados na Europa em 2018 (janeiro a setembro), acima dos 9% em 2013. O cenário global mostrou um crescimento ainda mais forte , com 14% dos lançamentos de carne nos primeiros nove meses de 2018 sendo alternativas de carne, em comparação com 6% em 2013.

A BLC disse que sua gordura à base de palma era um produto em flocos conferindo comprovadamente melhores atributos funcionais a produtos semelhantes à carne. Por exemplo, poderia reproduzir as bolhas de gordura e as características de bolsa de gordura animal nos hambúrgueres, sendo mais fácil de processar do que os óleos líquidos ou gorduras cerosas mais usados, como o óleo de colza ou óleo de girassol.

Os dois produtos também demonstraram capacidade para melhorar parâmetros como firmeza, coesão, elasticidade e reduziram potencialmente a necessidade de adicionar emulsificantes, texturizadores à base de goma, sal e outros intensificadores de sabor, de acordo com a BLC.

“Isso pode melhorar os atributos de clean-label dos atuais produtos de substituição de carne que sofreram alguma reação do consumidor por serem” excessivamente processados”.

Além disso, ambas as gorduras não eram hidrogenadas e não continham gorduras trans. A BLC disse que a palma e o karité continham mais gordura saturada em comparação com o óleo de colza e de girassol, mas menos que a gordura animal, o que significa que tiveram um desempenho melhor na chapa.

A BLC opera como o negócio global de óleos comestíveis B2B da gigante do agronegócio Bunge Ltd

Fonte: OFI

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Graxaria
  • Óleos e Gorduras
  • Pet Food
  • Aqua Feed
  • Animal Feed
  • Espuma
Aguarde...

Cadastre-se

Aguarde...

Esqueci minha senha

Aguarde...
Translate »