5 jun, 2020
por Daniel Geraldes
140
99

Nutrição e Formulação

NUTRIÇÃO E FORMULAÇÃO DE ALIMENTOS PET”

Zootecnista Glaucio Magalhães
Diretor técnico GMG consultoria & Cursos
DSc. Zootecnista – Humberto Pena Couto
Consultor pet food e consultor GMG consultoria & cursos

A evolução da computação tem sido preponderante para o aparecimento de ferramentas que tem ajudado muito na busca de precisão das formulações de produtos e dietas para todas as espécies de animais, inclusive para o Homem, favorecendo à redução de resíduos jogados na natureza, mitigando custos e levando maior longevidade e saúde aos animais e ao homem.

Hoje em dia fica muito claro o fortalecimento de duas partes importantes e distintas neste contexto, o papel do formulador, que por si só tem a função matemática e executora do dia a dia nas indústrias de ração, atualizando sempre que necessário os custos e acertos de fórmulas buscando sempre os ajustes de custo benefício dos alimentos, por outro lado o papel do nutricionista que, além de pensar no produto deve ter vários outros fatores para tomada de decisão, utilizando das investigações científicas para nortear as necessidades nutricionais à serem impostas nas formulações de alimentos industriais e dietas caseiras.

Para melhor desenvolvimento destas duas funções vem aparecendo vários programas computacionais de formulação e, mais recentemente o nosso amigo e zootecnista Prof. DSc.  Humberto que nos engrandece com suas opiniões nesta matéria desenvolveu um software de grande valia para nós profissionais ligados neste mercado que cresce a cada dia e necessita de maior rapidez e precisão nas tomadas de decisão, este programa tem novidades de controle zootécnico, zoometria, relação com os ingredientes usados, além de outras novidades, evoluindo as formas de formular nutricionalmente com precisão e sustentabilidade ecológica e  econômica para melhoria de nosso desempenho e saúde dos nossos pets.

A nutrição dos animais pode ser definida pela ciência que integra e estuda o conjunto de processos em que se realizam a digestão, absorção e o metabolismo dos nutrientes contidos nos alimentos, usando-os para todas suas funções fisiológicas vitais.

Seu objetivo é o de suprir todos os nutrientes, que são os elementos químicos essenciais a vida, em quantidades e proporções ótimas, para diversas fases da vida do animal: crescimento, manutenção, atividade física, gestação, lactação, trabalho, etc. Os nutrientes são classificados e agrupados de acordo com a natureza química e biológica: água, carboidratos, proteínas, lipídios, minerais e vitaminas.

A boa nutrição depende de uma alimentação regular e equilibrada, ou seja, é preciso fornecer às células me seus respectivos tecidos do corpo não somente a quantidade como também a variedade adequada de nutrientes importantes para seu perfeito funcionamento. A desnutrição deve ser atribuída não somente a deficiência em nutrientes, mas também a seus excessos, que são os vilões responsáveis pelo aparecimento de várias desordens metabólicas e doenças.

Embora igualmente queridos como animais de estimação, cães e gatos divergem muito em suas exigências nutricionais, pois são espécies completamente diferentes. Os cães são animais onívoros, que  podem ser nutridos com alimentos de origem vegetal e animal, enquanto os gatos permaneceram carnívoros ao longo de sua evolução. Logo, alimentos ou suplementos formulados para cães não podem ser utilizados para gatos, e vice e versa, pois com certeza suas necessidades diárias não serão alcançadas, principalmente devido muitas das particularidades nutricionais.

Com o maior conhecimento do valor nutritivo dos alimentos, as exigências nutricionais e estudos do equilíbrio e interações da energia e nutrientes surgiu a conceituação de “Alimentação balanceada”. Atualmente profissionais da área desenvolveram, utilizando todos os conhecimentos disponíveis associadas a tecnologia da informática, softwares capazes de utilizar a programação linear para a formulação de alimentos, rações, dietas e suplementos totalmente equilibrados para melhor nutrição dos cães e gatos.

A maioria dos tutores de animais de estimação alimentam seus animais de companhia com alimentos preparados comercialmente. Estes alimentos comerciais variam em forma e qualidade, e é essa diversidade que pode fazer com que a seleção de um alimento adequado para o cães e gatos seja uma tarefa desafiadora. A consideração mais importante na escolha de um alimento para um animal de companhia é o seu conteúdo nutricional. Ele não refere apenas aos níveis de nutrientes no alimento, mas também à sua digestibilidade e à disponibilidade dos nutrientes essenciais.

Nutrientes podem ser fornecidos nos alimentos através de um grande número de ingredientes, o que pode alterar significativamente a nutrição dos cães e gatos.  Para os empresários que desejam atuar no mercado da nutrição pet, a recomendação é desenvolver produtos de qualidade com objetivos nutricionais bem definidos. As avaliações econômicas dos custos finais para comercialização se torna importante, pois a carga tributária brasileira é muito superior a outros países

“Avaliações dos alimentos pets considerando os aspectos nutricionais e seus custos/benefícios são indispensáveis para a melhor nutrição econômica dos animais de estimação”

As estimativas dos níveis nutricionais devem ser decididas mediante conhecimentos técnicos dos conceitos e metodologias que regem a área da nutrição. É muito importante considerar que definições incorretas das exigências nutricionais podem proporcionar sérios prejuízos aos animais de estimação, principalmente à sua saúde, bem-estar e longevidade.

“O conhecimento técnico é a chave para o sucesso da nutrição adequada do seu animal de estimação”

Na teoria nutricional do consumo, todos os nutrientes como: proteínas (aminoácidos), fibras, Ca, P, Na, ácidos graxos essenciais, dentre outros, deverão obrigatoriamente ter suas concentrações ajustadas pela E.M. do petfood, que influencia a quantidade consumida diariamente. Os alimentos e dietas contém grandes variações de densidades nutricionais, por esta razão se faz necessário compreender que o conteúdo nutricional deve ser expresso por cada 1000 kcal de energia metabolizável. Esta forma de padronização é que fornece as condições necessárias para comparação nutricional entre alimentos industriais ou naturais do seu pet.

As dietas terapêuticas são aquelas que auxiliam no gerenciamento das condições de saúde e no tratamento de diversas enfermidades dos cães e gatos. A alimentação terapêutica ganha cada vez mais espaço no mercado pet atual, devido ao aumento na variedade e flexibilidade. Estudos recentes vêm contribuindo muito para elaborações de dietas terapêuticas, que são formuladas especificamente para gerenciar muitas condições clínicas diferenciadas como: obesidade, diabetes, alergias, doenças cardíacas e renais.

A nutrição desempenha papel na prevenção de doenças e está diretamente relacionada a prevenção de doenças infecciosas em animais de estimação. Como exemplo pode se citar a sua influência na eficiência das vacinas, que somente são eficazes se o sistema imunológico do animal esteja saudável. Nutrientes fornecidos pelas dietas, como vitamina C, E e luteína, atuam como antioxidantes e ajudam a reduzir os danos às células do sistema imunológico.

Os alimentos terapêuticos industrializados são atualmente os mais utilizados devido sua qualidade nutricional e praticidade, satisfazendo grande parte da comodidade dos tutores. Entretanto, há quem prefira as rações terapêuticas naturais elaboradas em casa pelo motivo da experiência com de intolerância às terapêuticas industrializadas, argumentando que invés de ajudar acabam por piorar a situação de saúde do animal de estimação. Tanto a alimentação industrializada quanto a natural deve ser balanceada nutricionalmente, para que a quantidade diária fornecida satisfaça as exigências de energia e de todos os nutrientes dos pets em acompanhamento ou mesmo em tratamento clínico.

“A alimentação balanceada nutricionalmente e adequada à enfermidade dos pets tem papel fundamental dentro dos protocolos recomendados nos tratamentos clínicos”

A prática da formulação de alimentos, dietas ou suplementos para cães e gatos está diretamente relacionada e elaboração e entendimento dos “Guias de Alimentação ou Suplementação”, que comumente encontramos nos rótulos e embalagens de produtos para a nutrição pet. Os guias de alimentação dos produtos pet são elaborados com a finalidade de orientar os tutores ou tratadores a quantidade diária necessária para uma adequada nutrição. Geralmente, são estabelecidos de acordo com o peso corporal médios das raças em fases de crescimento e manutenção ou porte (Mini, pequeno, médio, grande ou gigante). Alguns alimentos são específicos para cadelas e gatas em gestação e lactação, e muitas vezes são indicadas em conjunto com a de filhotes.

É muito importante na aquisição ou desenvolvimento de produtos para a alimentação dos animais de estimação determinar previamente os seus objetivos nutricionais. Não é raro observar no mercado pet muitos produtos com recomendações discrepantes, e guias de alimentação com sérios erros em suas informações nutricionais.

“Curvas padrões estabelecidas para os diferentes portes caninos e felinos possibilitam o acompanhamento profissional do crescimento e a adequação da alimentação para a sua saúde, bem-estar e longevidade

É importante verificar pelos dados apresentados a imensa diferença entre as exigências energéticas, tanto entre portes das raças dos cães, quanto ao longo de seu período de crescimento até a idade adulta. Nas fases de gestação e lactação, as fêmeas também são influenciadas pelo ganho ou perda de peso, necessitando de acompanhamento para correções do consumo de nutrientes.

             “A alimentação deve acompanhar as mudanças nos pesos e composições corporais, bem como dar atenção diferenciada para estágios fisiológicos importantes como a gestação e a lactação”

É importante verificar pelos dados apresentados a imensa diferença entre as exigências energéticas, tanto entre portes das raças dos cães, quanto ao longo de seu período de crescimento até a idade adulta. Nas fases de gestação e lactação, as fêmeas também são influenciadas pelo ganho ou perda de peso, necessitando de acompanhamento para correções do consumo de nutrientes.

             “A alimentação deve acompanhar as mudanças nos pesos e composições corporais, bem como dar atenção Diferenciada para estágios fisiológicos importantes como a gestação e a lactação”

A alimentação representa cerca de 70% dos custos totais de criação de um animal de estimação saudável. É um fator importante, pois pode ser decisivo na substituição de alimentos de “pior” para outro de “melhor” qualidade nutricional.

O custo da alimentação é um fator que deve ser considerado na nutrição dos animais de estimação, mesmo com a humanização da sua criação, pois alimentos onerosos nem sempre são sinônimos de nutrição de qualidade e saúde dos cães e gatos”

A avaliação do escore corporal é realizada pelos profissionais, juntamente ao acompanhamento do peso, com o objetivo de averiguar as condições nutricionais dos animais Ele auxilia na elaboração das estratégias de alimentação, com formulações de alimentos, dietas ou suplementos, sejam industrializados ou naturais, capazes de reestabelecer em tempo hábil as condições corporais adequadas.

Novos desafios que nos aguardam no futuro próximo são os mais novos conceitos que começam a emergir do desenvolvimento científico: a nutrigenética que é a avaliação da interação de hábitos dietéticos ou alimentares e o perfil genético animal, e a nutrigenômica que é o estudo de como os nutrientes das dietas podem influenciar a expressão gênica.

Colunistas

  • Graxaria
  • Óleos e Gorduras
  • Pet Food
  • Aqua Feed
  • Animal Feed
  • Espuma
Aguarde...

Cadastre-se

Aguarde...

Esqueci minha senha

Aguarde...
Translate »
×

Olá, como posso te ajudar?

Clique abaixo para falar conosco pelo WhatsApp.

× Como posso te ajudar?