17 set, 2019
por Daniel Geraldes
141
694

Tecnologias de processo atuais na Indústria de Alimentos Aquáticos

Visão geral das tecnologias de processo atuais na Indústria de Alimentos Aquáticos.

Obs: as tabelas estão no link aqui. Clique aqui.

Existem muitas espécies aquáticas diferentes que agora são cultivadas. O número de espécies e a quantidade pescada anualmente continuam a aumentar à medida que a aquicultura sustentável ganha apoio. As várias espécies de aquacultura (tanto marinha como doce) podem ser classificadas de acordo com as propriedades de flutuabilidade da sua alimentação.

Para atingir o nível de flutuabilidade necessário, foram estabelecidas faixas específicas de densidade aparente para cada alimento para o ambiente no qual ele está sendo alimentado. As propriedades de flutuação / afundamento mudam com a temperatura da água e a salinidade.

A receita e os parâmetros operacionais e de hardware para os processos de extrusão, secagem, resfriamento e revestimento são ajustados para atender às propriedades de flutuabilidade e níveis de gordura necessários no produto final. SME (energia mecânica específica) e umidade de extrusão são os principais parâmetros operacionais que são controlados durante o processo.

A categoria de alimentação aquática que afunda pode ser dividida como mostrado na Tabela 3.

Cada categoria de alimentos aquáticos tem certos atributos críticos que afetam o processo e o mercado em uma determinada região do mundo. Esses atributos estão resumidos na Tabela 4.

Para a maioria dos alimentos flutuantes, o principal critério é simplesmente que o alimento flutue. Os produtores obviamente querem pouco finos, mas um produto que é suficientemente expandido para flutuar é a principal especificação. Sistemas de extrusão simples são suficientes para este tipo de alimentação.

Os mercados de alimentos que afundam e de  afundamento lento de alimentos aquáticos são altamente segmentados , com base na disponibilidade de ingredientes, no tipo de alimento e nos níveis de gordura (Tabelas 4 e 6). Observe que a produção de salmão fabricada na Noruega (um mercado maduro) exige um sistema de extrusão complexo devido aos níveis de gordura ultra-alta, alto rendimento e diversas fontes de ingredientes. Ração de peixe disponíveis para a indústria salmão norueguesa são altamente variáveis na processabilidade e as proteínas vegetais estão se tornando uma parte significativa da maioria das receitas. Os sistemas de extrusão devem ter entradas de SME altas (> 40 kWh / t) para alcançar a estrutura de células pequenas exigida para os níveis de gordura ultra-alta. Isso está em contraste com a atual indústria chilena de rações para salmão, na qual quantidades e qualidade mais consistentes de farinha de peixe estão disponíveis. As rações de salmão no Chile também são mais baixas em níveis de gordura total do que suas contrapartes norueguesas. Todos esses fatores combinados determinam que os sistemas de extrusão para a indústria norueguesa de ração para salmão devem ser mais complexos do que os do Chile.

Outra comparação interessante pode ser feita no processo requerido para robalo ou pargo. Na maioria das regiões do mundo, os níveis de proteína vegetal são significativos na receita e é desejável que os pellets estejam afundando lentamente. Na região do Mediterrâneo, no entanto, muitos dos produtores de rações também são fornecedores de farinha de peixe e os fazendeiros  exigem que a ração se afunde rapidamente. Os sistemas de extrusão para produção de rações para robalo e dourada na região do Mediterrâneo devem poder produzir alimentos muito densos (650-725 g / l) a partir de receitas que contenham níveis significativos de farinha de peixe.

Ração para camarão também é segmentada. Os alimentos da América do Sul geralmente são extrusados com receitas com baixo teor de proteínas e alto teor de carboidratos e requerem 4-8 horas de estabilidade da água. A alimentação de camarões na Ásia é geralmente maior em proteína e requer estabilidade de 8 a 12 horas. Um resumo mais detalhado dessas segmentações de mercado é encontrado nas Tabelas 6.

A indústria de alimentos aquáticos é ainda mais complicada pela presença de firmas multinacionais que muitas vezes sabem qual é o processo de extrusão necessário para suas estratégias de produção. Seus requisitos nem sempre podem se encaixar nas categorias descritas acima. Outro grupo de produtores de rações aquáticas que terá processos únicos são aqueles que fabricam rações iniciais. Estes sistemas de extrusão são muito especializados e muitas vezes dedicados à produção de alimentos de pequeno diâmetro.

Eduwaldo B Jordao

Technical Sales Engineer
Aqua Feed Division
ejordao@wenger.com +55 19 98171 6666
Wenger Corporate
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Colunistas

  • Graxaria
  • Óleos e Gorduras
  • Pet Food
  • Aqua Feed
  • Animal Feed
  • Espuma
Aguarde...

Cadastre-se

Aguarde...

Esqueci minha senha

Aguarde...
Translate »
×

Olá, como posso te ajudar?

Clique abaixo para falar conosco pelo WhatsApp.

× Como posso te ajudar?