13 maio, 2020
por Daniel Geraldes
121
551

Conab eleva estimativa da segunda safra de milho para 75,9 milhões de toneladas

Consumo interno do cereal deve cair 1,93 milhão de toneladas com relação à 2019.

A Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) divulgou seu boletim de acompanhamento da safra brasileira de grãos para o mês de maio e apontou que as expectativas para a segunda safra de milho estão todas voltadas para a evolução do quadro climático nesta parte final das lavouras.

“Como um percentual relevante da área foi plantada fora da janela climática recomendada, as chuvas de maio serão fundamentais para as lavouras que se encontram na grande maioria em frutificação”, diz a publicação.

Para os técnicos da Conab, mesmo que eventuais frustrações de produtividade aconteçam por questões climáticas, a expectativa é de aumento na produção na ordem de 3,7% em relação a safra passada, chegando ao total de 75,9 milhões de toneladas.

Já para a safra verão do cereal, o órgão aponta redução de 4,3% nos níveis médios de produtividade com relação à safra anterior devido à problemas climáticos na região Sul, sobretudo no Rio Grande do Sul.

O relatório destaca também a expectativa de redução no consumo de milho no Brasil na ordem de 1,93 milhão de toneladas, ficando com o volume total de 68,52 milhões de toneladas. Sendo que, a produção de etanol de milho deve cair de 6 milhões de toneladas para 5,6 milhões e o setor de aves e suínos crescendo apenas 1% ante a projeção de 4% a 5%.

Por fim, a Conab espera que as exportações brasileiras de milho atinjam o volume de 34,5 milhões de toneladas. “Porém, há um espaço para incremento até o final do ano, tendo em vista o câmbio mais elevado historicamente e a paridade seguindo acima de R$ 45,00 a saca no porto e próxima dos R$ 30,00 a saca no interior do Mato Grosso”.

Por: Guilherme Dorigatti – Notícias Agrícolas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *