10 jul, 2019
por Daniel Geraldes
79
257

Ensacadeiras – Qualidade, alta tecnologia e precisão à disposição da indústria

Ensacadeiras – Qualidade, alta tecnologia e precisão à disposição da indústria.

O processo de ensaque vem sendo aprimorado por empresas como Masipack, Umbra, Haver & Boecker e Insack

Por: Lia Freire

As evoluções e novas tecnologias no desenvolvimento das ensacadeiras são apresentadas por importantes players que estão atentos às atuais demandas e exigências da indústria pet food. Além disso, as empresas trabalham focadas em adiantar-se às necessidades e disponibilizar soluções que surpreendam e contribuam para a evolução do setor pet food.

Em sua linha de equipamentos a Masipack atende desde a embalagem primária até a paletização. As embaladoras verticais da marca operam embalagens que vão de 500g até 25Kg, sempre buscando atender as necessidades de cada projeto de forma individual. São soluções para mais de 30 diferentes tipos de embalagens e uma gama ainda maior de acessórios que podem ser aplicados, como por exemplo, zíper, válvulas ou etiquetas.

Em sua quinta geração, a linha Ultra VS é o carro-chefe da Masipack para o setor pet food. De fácil operação e setup, traz diferentes configurações e aplicações, podendo trabalhar com produtos líquidos, pastosos, pó, granulados ou sólidos, sendo facilmente integrada a outros equipamentos como enfardadeiras, encaixotadoras e paletizadores.

Recentemente, a Masipack trouxe ao mercado a embaladora MXPB que trabalha com embalagens pré-formadas para acondicionar embalagens menores de até 1kg em uma única coluna. Na prática, o equipamento funciona como uma enfardadora, porém para o consumidor há um ganho na qualidade final do produto, pois como a quantidade da embalagem aberta é menor, há um proveito significativo na manutenção da palatabilidade do grão, preservando sua crocância e aroma por mais tempo.

Profissional de Marketing da Masipack, Kim R. Iegoroff, explica que além das recentes adequações para atender as exigências da NR-12, os equipamentos do Grupo também oferecem proteções IP-65 e estrutura em aço inoxidável para facilitar a limpeza, além de contar com uma série de componentes que funcionam em sincronismo com os conceitos da chamada indústria 4.0, permitindo conectividade e operação remota, além de melhor controle na gestão de alarmes e manutenções preventivas. “Os equipamentos da linha 4.0 da Masipack oferecem design diferenciado, ocupando menor espaço físico em planta, sem abrir mão de seu acabamento refinado e das características que os tornaram referência no mercado.”

Kim destaca ainda que a empresa também oferece um serviço pioneiro entre os fabricantes de máquinas que é a consultoria no desenvolvimento de embalagens. A Masipack conta com uma equipe especializada que sugere o formato mais adequado e também cria toda a identidade visual do produto, fornecendo inclusive um mockup real que permite ao comprador verificar como ficará a embalagem no ponto de venda, antes mesmo de finalizar a aquisição do equipamento.

“Um dos principais aspectos a serem considerados na aquisição de um equipamento é, sem dúvida, o seu custo-benefício”, afirma Kim, acrescentado que é importante levar em consideração a capacidade produtiva do equipamento, prevendo um aumento futuro na produção e o quanto de manutenção irá demandar. “Os nossos equipamentos graças ao sistema verticalizado de produção, têm robustez necessária para uma operação segura e contínua por vários anos, agregando confiabilidade ao sistema de embalagem na fábrica.”

Especialista nas Ensacadeiras do tipo Boca Aberta

As ensacadeiras do tipo Boca Aberta são disponibilizadas pela Insack, que também desenvolve e aprimora as funcionalidades dos equipamentos conforme as necessidades apresentadas. Segundo o executivo da área de Gestão e Marketing, Peter Filho, esse tipo de máquina tem alto grau de precisão, fácil compreensão, excelente capacidade de produção (alcança até 700 sacos/hora sem desperdícios de produto e com aumento de ganho real com a sobra da produção), tem tecnologia touch screen e comandos inteligentes.

Ainda de acordo com Peter, os clientes da linha pet food buscam atender o mercado com o mais alto grau de qualidade, buscando nas ensacadeiras, robustez, agilidade e alto grau de precisão. “Segurança, agilidade e precisão sempre permearam os projetos das nossas ensacadeiras e continuam sendo o nosso norte. Trabalhamos para aperfeiçoar e melhorar toda a nossa linha de produção. Os processos de automatização e paletização têm sido nossos alicerces na elaboração de um projeto completo de ensaque para a linha pet food.”

A Insack também está desenvolvendo projetos na área de empacotadoras e de novas tecnologias na sacaria (embalagem do produto), além de ajustes nos sistemas de selagem. Por se tratar de uma linha alimentícia, o cuidado com a perfeita vedação e higienização no ensaque são primordiais para a empresa.

Acompanhando a evolução da indústria pet food, a empresa ao longo dos anos apresentou estruturas de embalagens “mais inteligentes” e melhorias no acondicionamento dos alimentos, também aprimorou os processos de selagem e costura, incluindo as etiquetas de normatização (obrigatório para produtos de exportação).

Além disso, novos sistemas possibilitaram automatizar as linhas de produção e levar maior autonomia ao cliente. “O mercado pediu automação e otimização dos processos fabris. Diante deste cenário, desenvolvemos o Aplicador Automático para Sacarias Boca Aberta que atende todo o mercado que necessita automatizar a produção e otimizar custos.

O equipamento é completo, dinâmico e automático, permitindo reduzir e padronizar os processos, contando com apenas um operador para todo o fluxo do processo e durante o seu funcionamento o funcionário poderá realizar outras funções”, explica Peter, acrescentando que para a empresa excelência nas ensacadeiras e ter equipamentos que proporcionam excelentes resultados são itens obrigatórios.

Soluções para todo o sistema de ensacagem

Atendendo todo o sistema de ensacagem para a linha pet food, a empresa Haver & Boecker tem em seu portfólio além das ensacadeiras – que permitem a aplicação da embalagem manual ou automática e a utilização de vários tipos como: sacos valvulados (com ou sem selagem), boca aberta (com costura ou selagem), sacos pré-formados ou bobina FFS (Form, Filling and Seal), podendo ser de papel, ráfia (WPP) ou plástico (PE) e com capacidade para produzir até 2 mil sacos por hora em embalagens que variam de 10kg a 50kg, – linhas completas de transporte para a paletização automática, seja por meio de robôs ou paletizadores cartesianos.

Para atender as indústrias de pet food que buscam mais performance das máquinas, levando em consideração a diversificação de embalagens, mantendo-as bonitas e apelativas para o consumidor final, a Haver desenvolveu equipamentos como o ISF-1 – um moderno sistema de ensacagem – que utiliza bobina tubular em polietileno realizando a formação da embalagem, enchimento e selagem, atingindo capacidade de até 2 mil sacos/hora. “Aspectos prioritários como precisão de pesagem, garantia da não violação da embalagem, segurança (mantendo a vida útil do produto), fiabilidade do equipamento, performance de produção, padrões alimentícios/sanitários, operações ergonômicas e ambiente limpo, são pontos essenciais para a indústria pet food e também adotados como premissas básicas nos sistemas de ensacagem da Haver”, declara o Gerente de Vendas, Edson Palorca.

Além do modelo ISF-1, buscando atender todos os tamanhos de mercado e opções de embalagens, a marca também desenvolveu os equipamentos IOF-1, Top Line e NW que visam otimizar as demandas produtivas. E há novidades em balança eletrônica com o modelo MEC®4, um sistema modular de pesagem com PLC integrado, projetado para suprir as necessidades de controle de pesagem na operação dos clientes. Outra inovação da Haver que integra a indústria 4.0 é o sistema de monitoramento HAVER QUATTRO, que une a detecção do estado atual da planta com a análise e visualização dos processos. “É a identificação de otimizações e integração com a indústria 4.0 em um único sistema”, destaca Edson.

A Haver & Boecker tem investido em suas tecnologias já consagradas nas indústrias de alimentos, química e cimento, para atender com excelência as demandas do mercado pet food. Uma destas ações foi a fundação de uma nova empresa do grupo chamada AVENTUS, especificamente com foco nos equipamentos de ensacagem e paletização dos produtos granulados, a fim de fornecer as melhores e mais modernas tecnologias.

Flexibilidade, eficiência e economia

Ensacar e paletizar produtos de forma completamente automática, proporcionando eficiência e economia ao cliente é o propósito apresentado pelos equipamentos da italiana Umbra Packaging.

A partir de sacos pré-formados (boca aberta) ou de bobina, os maquinários da marca ensacam todos os tipos de produtos granulados e em pó, com capacidades que podem variar entre 10 sacos/minutos até 40 sacos grandes/minuto ou 60 sacos pequenos/minuto.

Dois aspectos relacionados às demandas da indústria brasileira de pet food são prontamente atendidos pelos maquinários da marca: a produtividade e flexibilidade. “A precisão do nosso sistema é um aspecto que merece ser destacado, reduzindo as perdas e o desperdício através de um rígido monitoramento do peso que está sendo ensacado, havendo um considerável aumento da produtividade”, observa o Diretor Comercial da Umbra Packaging, Michele Carloni.

A cada ano a marca investe em inovação, aprimorando os próprios sistemas com base nas experiências adquiridas nas instalações e no monitoramento das máquinas vendidas pelo mundo. Sempre é feito um estudo personalizado por cliente, tentando adaptar as características com as necessidades específicas. Duas importantes inovações são destacadas pela Umbra: uma delas é o sistema de higienização e controle do processo de envasamento, que é similar aos padrões dos maquinários destinados à alimentação humana e, a segunda inovação é o sistema patenteado de alinhamento da selagem de topo dos pacotes, em que todo pacote é alinhado antes de ser selado (fechado), garantindo estética aos sacos e funcionalidade quando utilizados sistemas de abertura e fechamento fácil (zíper ou velcro). Aliado a essas características, as máquinas da Umbra atendem aos critérios da indústria 4.0 com sistemas de supervisão e conectividade compatíveis com os existentes nos clientes.

Os dois modelos de maquinários da Umbra mais vendidos no Brasil são o UP 1000 e UPD. Ambos podem trabalhar com diversos formatos de embalagens (doypack, fundo quadrado, top slider, sacos de velcro, sacos com alça, entre outros) nos tamanhos de 1kg até 25kg, garantindo com isso uma importante flexibilidade à operação e com a troca automática de produto, evitando paradas do equipamento, numa velocidade de até 25 sacos/minuto, oferecendo ao cliente uma importante economia fabril, com um único operador capaz de gerenciar a linha desde o envase até o pallet final. “Fornecemos uma automação completa, reduzindo custos e a ineficiência dos processos”, reforça Michele.

No Brasil a Umbra investiu em uma estrutura própria para garantir atendimento técnico pós-venda e manutenção aos seus clientes. Isso tornou o país um polo de referência para o mercado sul-americano, onde foram instaladas ao todo mais de 100 máquinas ao longo dos últimos anos.

Fonte: Revista Pet Food – Edição Nov/Dez 2018 – Publicação Exclusiva.
Proibida reprodução parcial ou total sem autorização da Editora Stilo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Graxaria
  • Óleos e Gorduras
  • Pet Food
  • Aqua Feed
  • Animal Feed
  • Espuma
Aguarde...

Cadastre-se

Aguarde...

Esqueci minha senha

Aguarde...
Translate »