25 mar, 2020
por Daniel Geraldes
105
2084

Entrevista com Flávia Saade – Cães e gatos veganos?

Cães e gatos veganos?

A relação cada vez mais humanizada entre tutores e seus animais de estimação vem contribuindo para importantes mudanças nos hábitos dos pets. Mas, será que com o crescente número de pessoas veganas e vegetarianas, inclusive no Brasil, estamos diante de um novo mercado?

Por: Lia Freire

O assunto causa controvérsias e divide opiniões. Mas, vem ganhando espaço na nutrição de animais de estimação e, portanto, merece atenção.
De acordo com o último levantamento realizado pelo IBOPE, entre 15% e 19% da população brasileira se declara vegana e/ou vegetariana, o que representa algo em torno de 30 milhões de brasileiros. Deste universo, podemos considerar que muitos tutores queiram oferecer o mesmo tipo de alimentação, sem proteína animal, para os seus cães e gatos. Mas, estes pets podem ficar sem carne?

No Brasil, diferentemente do mercado norte-americano, que nos últimos anos viu surgir uma infinidade de linhas orgânicas, naturais, veganas/vegetarianas para animais de estimação, é algo bastante incipiente, com duas ou três marcas. Além disso, ainda há muita pesquisa e estudo a ser feito.

Para falar sobre o tema conversamos com a Dra. Flávia Saad, Médica Veterinária pela Universidade Federal de Minas Gerais com mestrado em Zootecnia e doutorado em Ciência Animal, pela mesma instituição. Atualmente, a Dra. Flávia é professora associada da Universidade Federal de Lavras e pesquisadora em nutrição de cães e gatos.

Revista Pet Food – Qual a sua percepção sobre as dietas vegetarianas e/ou veganas na nutrição animal? A senhora acredita que uma dieta equilibrada pode passar por esse tipo de alimentação?
Flávia Saad – Encontramos ainda bastante restrição, especialmente por parte dos veterinários, em relação a esse tipo de dieta, que passa pela questão dos cães e gatos serem carnívoros. No entanto, acredito que nós profissionais, não devemos ter filosofias, mas seguirmos o que a ciência e os estudos nos revelam. Há cerca de cinco anos eu avalio nichos de mercado e vejo nas dietas vegetarianas e/ou veganas uma nova possibilidade de negócios, com uma boa perspectiva de crescimento no Brasil. Porém, também há riscos. São aproximadamente 30 milhões de brasileiros que se declaram vegetarianos e/ou veganos e muitos deles com pets e chances reais de introduzir uma dieta vegetariana e/ou vegana na alimentação dos cães e gatos. Como a oferta de rações comerciais ainda é pouca, as opções caseiras representam escolhas perigosas, desencadeando uma dieta inadequada e desbalanceada. É preciso ter o auxílio do veterinário, nutrólogo ou nutricionista, atendendo de maneira individualizada e eficaz para oferecer uma alimentação vegetariana e/ou vegana saudável, balanceada e palatável.

Revista Pet Food – Como atender as necessidades nutricionais de animais essencialmente carnívoros com estes alimentos?
Flávia Saad – Será preciso realizar uma série de correções nesses alimentos para que atendam às necessidades nutricionais de cães e gatos, mas isso já acontece com as atuais rações comerciais. Os felinos, por exemplo, têm metabolismo para melhor aproveitamento de proteínas e gorduras, não interessando se essa proteína vem da carne ou do vegetal, desde que seja na quantidade e qualidade adequadas. Nos alimentos secos para gatos temos que fazer uma série de adequações como acrescentar taurina sintética uma vez que este ácido orgânico é termolábil, ou seja, no momento que o alimento é submetido a extrusão ou qualquer outro processamento, a taurina natural é destruída, por isso, deve-se suplementar a ração para não causar um distúrbio metabólico no animal. Então, eu acredito que realizando os ajustes e as adaptações necessárias seja possível conseguir uma dieta equilibrada, seja com a ração convencional, vegana e/ou vegetariana.

Revista Pet Food – No Brasil temos estudos e pesquisas avançadas para o desenvolvimento desse tipo de alimentação?
Flávia Saad – O assunto é ainda recente no Brasil, mas já temos estudos. Eu mesma conduzi pesquisas e a partir de alguns parâmetros (digestibilidade de nutrientes, proteínas, consumo e PH urinário) realizei comparativos entre rações Super Premium, Premium, Standard e vegana para gatos. De modo geral, o alimento vegano ficou no mesmo patamar do Super Premium, tendo alguns parâmetros parecidos com a Standard. Por outro lado, há também pesquisas que mostram um certo desbalanceamento nessas rações veganas, tanto de minerais, quanto de outros nutrientes. Seguimos discutindo e analisando sobre as possibilidades do que pode ser feito para abastecer adequadamente o mercado de nutrição animal.

Revista Pet Food – Alimentos veganos e/ou naturais para os humanos costumam ter preços elevados. Isso deverá se repetir no mercado de pet food?
Flávia Saad – Sim. Primeiro porque ainda temos uma pequena demanda em comparação às tradicionais rações comerciais, além de poucos fornecedores. Também é importante dizermos que se trata de um alimento caracterizado como Premium e Super Premium, portanto, de maior valor agregado.

Revista Pet Food – A tendência na nutrição é trabalhar com nichos de mercado?
Flávia Saad – O mercado de nutrição animal é bastante amplo e fragmentá-lo é sim uma tendência. Além das rações Super Premium, Premim e Standard temos inúmeras outras possibilidades como as que simulam alimentação caseira, alimentos com apelo ao natural, recomendações individualizadas com o desenvolvimento de cardápios, dietas e programas alimentares e muitas outras versões.

Revista Pet Food – Qual é o futuro deste mercado?
Flávia Saad –Sempre haverá o mercado tradicional e ele não vai sumir. Mas, aproveito para deixar uma reflexão a partir do relatório da World Resources Institute (WRI), de dezembro de 2018, sobre alimentar a população mundial, que pode chegar a 10 bilhões de pessoas em 2050. Segundo o estudo, o mundo precisará quadruplicar a produtividade agropecuária e reduzir a demanda por carne. Alguns movimentos na busca de fontes alternativas de alimentação já vêm ocorrendo na indústria voltada à alimentação humana, como a produção de carnes em laboratório. Na nutrição animal também. Temos, por exemplo, pesquisas com insetos e outros coprodutos que possam ser utilizados para alimentar cães e gatos. Portanto, vejo segmentos, como da alimentação vegana e/ou vegetariana como promissores e em franca ascensão, especialmente para atender os cães e gatos e o intenso processo de humanização deste mercado.

ENTREVISTA EXCLUSIVA DA REVISTA PET FOOD – EDIÇÃO NOV/DEZ 2019.
PROIBIDO REPRODUÇÃO PARCIAL OU TOTAL SEM AUTORIZAÇÃO DA EDITORA STILO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Graxaria
  • Óleos e Gorduras
  • Pet Food
  • Aqua Feed
  • Animal Feed
  • Espuma
Aguarde...

Cadastre-se

Aguarde...

Esqueci minha senha

Aguarde...
Translate »