15 set, 2021
por Daniel Geraldes
141
213

Entrevista com Leon Melli – Energias Renováveis

Haldor Topsoe – Especialista na produção de energias renováveis

Tendo como propósito ser líder global no fornecimento de tecnologias de redução de emissão de carbono, atendendo as indústrias química e de refino, a dinamarquesa Haldor Topsoe dedica-se a aperfeiçoar a química para um mundo melhor, possibilitando que as empresas tenham êxito na transição para a energia renovável.

São décadas de P&D em tecnologias de eficiência energética para produzir combustíveis “limpos”, bem como, amônia, metanol e hidrogênio que são vistos como os combustíveis e produtos químicos mais importantes do futuro. A missão da Haldor Topsoe é liderar a transição destas áreas para um futuro renovável, tendo como visão estratégica ser reconhecida como líder global em tecnologias de redução de emissão de carbono até 2024.  “Reduzir as emissões de carbono é vital para o sucesso da transição para as energias renováveis ​​e essa meta vem sendo o foco da nossa empresa. Isso fará uma grande diferença para os negócios dos nossos clientes, para o clima e planeta terra”, afirma a Diretora de Tecnologia de Combustíveis Limpos da Haldor Topsoe, Mikala Grubb.

O biocombustível cuja utilização mais cresce no mundo é o diesel renovável – reconhecido como um biocombustível avançado e que, em comparação com o biodiesel éster, atualmente misturado ao diesel de petróleo, reduz a emissão de poluentes e melhora o desempenho dos motores – , razão pela qual foi o tema escolhido para esta entrevista com os executivos da Haldor Topsoe, Mikala Grubb, Diretora de Tecnologia de Combustíveis Limpos e Leon Melli, Gerente Nacional para o Brasil.

Quando se trata de combustíveis renováveis, a companhia dinamarquesa possui grande expertise em processamento químico e know-how necessário para atender o mercado. “Nosso histórico de desenvolvimento de soluções inovadoras para combustíveis ‘limpos’ e competitivos de matéria-prima renovável remonta a 2004”, esclarece Mikala.

Revista Óleos & Gorduras – O que é diesel renovável?

Mikala GrubbÉ o biocombustível produzido por meio do hidroprocessamento, isto é, uma série de processos químicos que ocorrem tendo como reagente o hidrogênio na presença de catalisadores específicos e visando a obtenção de produtos purificados de matérias-primas renováveis. Enquanto este processo é amplamente conhecido e utilizado há várias décadas na indústria de refino tradicional para a remoção de contaminantes, como enxofre e nitrogênio, e em combustíveis fósseis; apenas nas duas últimas décadas foi desenvolvido a ponto de ser capaz de processar uma ampla gama de matérias-primas renováveis, tais como, óleos vegetais, sebo animal, óleo de cozinha usado e outros.

Revista Óleos & Gorduras – Quais são as diferenças entre o diesel renovável e o biodiesel?

Mikala GrubbEsta é uma questão que costuma gerar confusões, isso ocorre pois tanto o biodiesel, quanto o diesel renovável podem ser gerados por meio do processamento de óleos vegetais para produzir combustíveis usados em motores a diesel. No entanto, o biodiesel é produzido através de reações conhecidas como transesterificação, consumindo em seu processamento o metanol fóssil e produzindo compostos químicos oxigenados conhecidos como ésteres (mais precisamente ésteres metílicos de ácidos graxos, ou FAME, na sigla em inglês). Um ponto fundamental é que este processo químico não remove os átomos de oxigênio dos triglicerídeos, que são os componentes base dos óleos vegetais. Por outro lado, as reações de hidroprocessamento – que caracterizam a produção de diesel renovável – eliminam completamente o oxigênio dos triglicerídeos, majoritariamente na forma de água e sem a utilização de metanol fóssil no processo. Neste sentido, o diesel renovável é quimicamente idêntico ao diesel fóssil convencional podendo, portanto, ser mesclado em quaisquer proporções, sem nenhum impacto ou necessidade de adaptação aos motores atuais.

Enquanto o biodiesel está limitado pela quantidade máxima de oxigênio que pode suportar, levando a limites técnicos na ordem de 20% ou menos. Esta diferença química é o fator fundamental, já que a ausência de oxigênio nas moléculas faz com que o diesel renovável, em comparação ao biodiesel, possua um conteúdo inferior de particulados, seja mais estável quimicamente e possua propriedades de fluidez significativamente melhoradas. Também é uma molécula que carrega aproximadamente 20% mais energias por peso.

Um outro aspecto fundamental é que o diesel renovável pode ser produzido a partir de um espectro mais amplo de matérias-primas, tais como, óleos de pirólise, óleos residuais da extração de pinus, óleo de algas, óleos residuais da produção de etanol de milho, da palma e outras culturas e muitos outros. Todos estes fatores fazem com que o diesel renovável seja, atualmente, comercializado ao redor do mundo a um preço aproximadamente 50% superior ao biodiesel.

Revista Óleos & Gorduras – Quais fatores levaram ao desenvolvimento do diesel renovável?

Mikala GrubbO processamento de matérias-primas renováveis para a produção de combustíveis surge como uma resposta tecnológica a dois temas-chave da nossa era: o acúmulo de gases geradores do efeito estufa na atmosfera (que se dá, entre outros fatores, pela queima irrestrita de combustíveis fosseis) que culmina com a dramática situação de mudanças climáticas as quais observamos hoje; e um acúmulo de resíduos gordurosos (óleos e gorduras que são gerados como subprodutos de processos de produção animal, processos industriais, resíduos urbanos, entre outros) que vem se acumulando em nosso planeta como consequência de uma mudança em nosso estilo de vida ao longo das últimas décadas.

Do prisma geopolítico, também há um fator relevante que diz respeito à busca e incentivo por diversos países pela descentralização da origem de recursos energéticos no mundo, historicamente concentrada em regiões produtoras de matérias-primas fósseis. Desta maneira, o processo tecnológico para converter esses resíduos oleosos em diesel e querosene de aviação renováveis se apresenta como uma solução altamente tecnológica, socialmente adequada e alinhada com os desafios ambientais que a humanidade atravessa neste momento. E, conforme colocado, a capacidade limitada do biodiesel de prover respostas a estas demandas culmina na necessidade de desenvolvimento de processos mais modernos e eficientes de produção de biocombustíveis.

Revista Óleos & Gorduras – Há diferenças entre o diesel renovável, diesel verde e HVO?

Leon Melli – HVO é o acrônimo em inglês para “óleo vegetal hidrotratado”, o que é uma definição bastante imprecisa do que estas moléculas são, tendo em vista que podem ser produzidas através de um leque muito mais amplo de matérias-primas para, além dos óleos vegetais, tais como, gorduras animais, resíduos gordurosos, óleo de pinus e outros. Observamos que as nomenclaturas “diesel verde” e “diesel renovável” acabam sendo utilizados indistintamente, no entanto, acreditamos que o termo diesel renovável é o mais adequado, refletindo com mais precisão o que estas moléculas realmente são.

Revista Óleos & Gorduras – Quais as principais aplicações do diesel renovável?

Leon Melli – O diesel renovável e o fóssil quimicamente são idênticos. Nós costumamos brincar dizendo que, se fosse possível entrevistar estas moléculas, elas não saberiam dizer se sua origem foi fóssil ou renovável. Desta maneira, o diesel renovável pode ser utilizado em qualquer mistura com o fóssil, entre 0 e 100%, em toda aplicação que faça uso do motor a diesel como automóveis, caminhões, maquinário agrícola, usinas termelétricas, incluindo as mais diversas aplicações industriais, indústria de navegação e muitas outras.

Revista Óleos & Gorduras – Como a produção do querosene de aviação renovável se encaixa na produção do diesel renovável?

Leon Melli – Dependendo dos objetivos específicos dos projetos de cada um de nossos clientes, nossa tecnologia HydroFlex™ é capaz de produzir, adicionalmente ao diesel renovável, o querosene de aviação renovável, com total flexibilidade. Isto é, a fração de cada um deles (diesel e querosene) pode variar entre 0 e 100%. Esta flexibilidade é, geralmente, vista como um fator preponderante em diversos negócios, uma vez que possibilita a adaptação a condições mercadológicas distintas e, assim, potencializa as margens operacionais.

Há uma pressão regulatória significativa para o aumento da produção e consumo do querosene de aviação renovável ao redor do mundo, já que existe uma previsão importante de aumento da demanda total pela aviação civil ao longo das próximas décadas. Ao mesmo tempo, alternativas de sustentabilidade, tais como, a eletrificação, não se mostram uma realidade para este mercado. Neste sentido, organizações globais como a ICAO – sigla em inglês para a Organização Internacional da Aviação Civil – e legislações em diversos países do mundo atualmente já regulamentam e requerem a utilização destas moléculas. Aponta-se um aumento bastante expressivo da produção deste biocombustível ao longo dos próximos anos.

Revista Óleos & Gorduras – Quais são as matérias-primas utilizadas na produção do diesel renovável?

Mikala GrubbHoje, após duas décadas de pesquisa e desenvolvimento, nossa tecnologia HydroFlex™ é capaz de converter qualquer tipo de matéria-prima renovável em diesel e querosene renováveis. Desde as mais básicas, tais como, o óleo de soja e canola, passando por óleos de pirólise e chegando aos  resíduos de pneus usados. Pudemos desenvolver uma vasta experiência a nível científico e, principalmente, industrial tanto em matérias-primas atualmente disponíveis quanto outras ainda em desenvolvimento. Estamos sempre interessados em testar e utilizar novas matérias-primas nos projetos que estamos envolvidos.

Revista Óleos & Gorduras – Qual é o tamanho deste mercado de diesel renovável e as perspectivas? Como ocorre a distribuição do mercado por região/país?

Mikala GrubbConsiderando que não há diferenças entre o diesel renovável e o fóssil convencional, podemos concluir que o mercado potencial para estas moléculas é exatamente o mesmo, que hoje gira em torno dos 30 milhões de barris consumidos diariamente ao redor do mundo. Enquanto, hoje em dia, os biocombustíveis (somando etanol, biodiesel e outros) correspondem a apenas 3% do consumo global total de combustíveis de transporte, a quantidade de novas unidades de produção de diesel renovável em desenvolvimento será suficiente para triplicar a capacidade de produção atual, o que demonstra uma tendência acelerada de implementação da tecnologia.

Atualmente, a maioria destes projetos ainda são desenvolvidos nos Estados Unidos e Europa por consequência de uma regulamentação e mandatos de aplicação mais exigentes. Entretanto, ao longo dos últimos anos já se pode observar de maneira clara uma expansão de projetos para outras regiões do mundo, tais como, Sudeste Asiático e a América do Sul.

Revista Óleos & Gorduras – Qual é a tendência de mercado no Brasil?

Leon Melli – O Brasil atualmente ocupa a segunda posição na produção global de biocombustíveis, atrás apenas dos Estados Unidos. Em função de nossa inegável vocação, do potencial do mercado produtor e, principalmente, devido as condições naturais e tecnológicas para a produção de matérias-primas, nós acreditamos que o Brasil reúne todas as condições para ocupar uma posição de destaque no mercado produtor e consumidor de diesel e querosene de aviação renováveis.

O próximo passo que enxergamos é avançarmos com a regulamentação e especificação destas moléculas e, subsequentemente, com a implementação de mandatos para consumo – tais como, hoje existentes para o etanol e o biodiesel. Cumpridos estes passos, realmente acreditamos que o Brasil e a América do Sul, como um todo, possuem condições de assumir o papel de “Oriente Médio” da era dos biocombustíveis.

Revista Óleos & Gorduras – Nos apresente a Haldor Topsoe.

Mikala GrubbA Haldor Topsoe é uma companhia de tecnologia de processos e catálise heterogênea dinamarquesa, fundada em 1940 pelo Dr. Haldor Topsoe (1913-2013), que a dirigiu durante 73 anos até o ano de seu falecimento. Nossa matriz está em Lyngby, nos arredores de Copenhague e, atualmente, somos aproximadamente 2.100 colaboradores divididos em diversos escritórios regionais ao redor do mundo, inclusive no Rio de Janeiro.

Tendo sido discípulo de Niels Bohr, também dinamarquês e um dos grandes cientistas da história da humanidade, Dr. Haldor sempre foi um verdadeiro apaixonado pela ciência e, mais especificamente, um apaixonado por como utilizar soluções científicas para a solução de problemas reais da humanidade. Foi assim nos anos 50, onde através de nossas tecnologias de produção de fertilizantes ajudamos a solucionar o problema da fome no pós-guerra (e até hoje, aproximadamente 50% da amônia do mundo, é produzida com nossos catalisadores e tecnologias) e, também, nos anos 80, onde o problema da chuva ácida era assustador e ajudamos a mitigá-lo com nossas tecnologias para remoção e gerenciamento de enxofre (e mais de 40% do diesel fóssil de baixo enxofre no mundo é gerado através das nossas soluções).

Nos propomos a liderar o desenvolvimento e inserção no mercado de tecnologias para a redução da emissão de carbono na atmosfera. Desta maneira, acreditamos que podemos dar a nossa contribuição e auxiliar nossos clientes em uma transição tecnologicamente segura e economicamente rentável para uma economia baseada em fontes renováveis.

Revista Óleos & Gorduras – Qual é a tecnologia da Haldor Topsoe para produzir o diesel renovável?

Mikala GrubbA HydroFlex™ é a nossa tecnologia amplamente testada nas mais desafiadoras condições para o hidroprocessamento de combustíveis renováveis. Todas as unidades HydroFlex™ são desenvolvidas sob medida para atender às demandas específicas de nossos clientes ao redor do mundo. A gasolina, querosene de aviação e diesel renováveis produzidos através de nosso processo não só cumprem com as mais exigentes certificações internacionais, como também, são completamente compatíveis com os motores e turbinas atualmente em utilização, podendo ser livremente misturados aos combustíveis fósseis.

A Haldor Topsoe vem liderando os desenvolvimentos tecnológicos na área de hidroprocessamento de cargas renováveis ao longo das duas últimas décadas. Desde nossas primeiras experiências industriais no norte da Europa, em 2000, e passando pelo fornecimento de nossa tecnologia para refinadores líderes globais, tais como, HollyFrontier, UPM, SkyNRG, Marathon, Preem, Grönfuels e outros. Fornecemos nossa tecnologia para mais de 60% dos projetos voltados à produção de diesel e querosene de aviação renováveis anunciados ao redor do mundo. Esta liderança de mercado, que tanto nos orgulha, está amplamente baseada na flexibilidade e eficiência de nossa tecnologia, seja na escolha das matérias-primas processadas, no layout da unidade ou nas especificações dos produtos requeridos por nossos clientes.

Revista Óleos & Gorduras – Como a tecnologia e a proposta de valor oferecidos pela Haldor Topsoe se diferenciam da concorrência?

Mikala GrubbDisponibilizamos todas as vantagens da HydroFlex™ através de uma equipe muito experiente, composta por engenheiros e cientistas  que estão prontos para trabalhar com os clientes durante todas as fases do projeto. Esta abordagem, suportada por duas décadas de investimentos significativos (9% de nossa receita) em pesquisa e desenvolvimento coloca a Haldor Topsoe em uma posição única no que se refere aos benefícios econômicos oferecidos pela HydroFlex™ aos nossos clientes: ciclos operacionais mais longos, maior rendimento nos processos, que são ainda mais inteligentes.

Uma trajetória exitosa e ininterrupta no desenvolvimento de catalisadores de hidroprocessamento de última geração, que culminou em soluções inovadoras. Por exemplo, nossas guardas para contaminantes críticos ao processo, tais como, o fósforo, possuem uma capacidade de captura duas vezes maior do que da concorrência. Além disso, nossa experiência operacional nos levou a desenvolver processos mais eficientes, reduzindo de maneira significativa o investimento necessário nas unidades. Além disso, o desenvolvimento de um conceito totalmente circular integrando a HydroFlex™ com nossa tecnologia de geração de hidrogênio – que chamamos de H2bridge™ – pode levar a uma redução nas emissões de gases de efeito estufa da ordem de 90%, enquanto simplifica a execução do projeto de maneira crucial com a integração de ambas as unidades.

Com essas características, os feedbacks positivos que recebemos de nossos clientes ao redor do mundo nos deixam confiantes de que estamos no caminho certo, contribuindo para o enfrentamento dos críticos desafios climáticos que a humanidade atravessa neste momento.

PUBLICAÇÃO EXCLUSIVA DA REVISTA ÓLEOS & GORDURAS.
PROIBIDO A REPRODUÇÃO PARCIAL OU TOTAL SEM AUTORIZAÇÃO DA EDITORA STILO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Graxaria
  • Óleos e Gorduras
  • Pet Food
  • Aqua Feed
  • Animal Feed
  • Espuma
Aguarde...

Cadastre-se

Aguarde...

Esqueci minha senha

Aguarde...
Translate »
×

Olá, como posso te ajudar?

Clique abaixo para falar conosco pelo WhatsApp.

× Como posso te ajudar?