You are here

Entrevista com Hernane Henrique - Firmenich

A centenária e revolucionária Firmenich

Desde a década de 50 a companhia suíça desenvolve inovadoras fragrâncias e aromas para o mercado brasileiro, contribuindo para o seu aprimoramento, fortalecimento e crescimento

Por: Lia Freire

Primeiro país da América Latina que recebeu as instalações da Firmenich foi o México, em 1948. Quatro anos mais tarde, a companhia suíça vislumbrou o potencial do mercado brasileiro e o crescimento das indústrias de perfumaria e aromas, foi então que começou a trazer suas criações olfativas para cá. Em seguida, iniciou as atividades de produção local para atender o mercado, que estava em franca expansão. Hoje, no grupo de países emergentes, o Brasil é considerado um dos principais mercados para a companhia e recebe importantes investimentos.
O Centro de Desenvolvimento de Fragrâncias da Firmenich para a América Latina está localizado no Brasil, na cidade de Cotia, em São Paulo. Com quase 400 funcionários é onde estão as lideranças das equipes de Perfumaria como a Área de Criação Olfativa, Área Técnica, Marketing, Consumer Insight e os Perfumistas, além dos setores de Vendas, Supply Chain, Assuntos Regulatórios, Qualidade e os departamentos administrativos.

O diretor de marketing Body & Home Care Latam e diretor comercial Brasil da Firmenich, Hernane Henrique fala sobre o posicionamento da companhia no país, tendências, desafios e expectativas. Confira! 

 
Revista Espuma - Qual é o posicionamento mercadológico da Firmenich?

Hernane Henrique - Somos criadores de alguns dos maiores sucessos, para marcas internacionais e grandes marcas brasileiras, atendendo os diversos segmentos que trabalhamos, incluindo Perfumaria Fina (somos líderes mundiais na categoria), passando por Higiene Pessoal e Cuidados para a Casa, com o desenvolvimento de novas moléculas e ingredientes naturais. 

Revista Espuma – Quais as tendências gerais de consumo observadas no universo das fragrâncias?

Hernane Henrique - Em todo o mundo, os produtos que conseguem de alguma maneira desenvolver uma conexão emocional com seus consumidores finais são os que mais têm chances de crescer e se destacar, independentemente do setor. Em perfumaria, de forma geral, essa característica é ainda mais acentuada, já que o olfato está intimamente ligado às nossas memórias, às nossas emoções. Com o acelerado ritmo de evolução das mídias sociais e consequente velocidade de circulação das informações, hoje o que é lançado em perfumaria fina tem influência quase que imediata em outros setores como, por exemplo, a perfumação de ambientes e até mesmo cuidados com as roupas, fato que há 10 anos era difícil de se imaginar. E hoje temos um novo grupo de consumidores com expectativas e necessidades específicas – os millennials (jovens entre 18 e 34 anos) – e que ganham cada vez mais importância como formadores de opinião e dão cada vez mais valor a novas experiências, novos conceitos. Conversar com esse público usando a linguagem e os canais adequados será essencial para o sucesso de uma marca e a assinatura olfativa é um fator chave para essa conexão. Na Firmenich desenvolvemos ferramentas específicas que nos ajudaram a "decodificar" as expectativas dos millennials e como criar fragrâncias para todas as categorias de produtos que de alguma maneira queiram ganhar importância entre eles.
 
Revista Espuma – As necessidades e exigências dos consumidores mudam de acordo com cada país? Em caso afirmativo, teria algum exemplo?

Hernane Henrique - Cada país tem sua peculiaridade, sua cultura, sua história. E as preferências olfativas estão intimamente ligadas a esses fatores e aos ingredientes que fizeram parte dessa história. Muitas vezes, países vizinhos possuem preferências olfativas bem distintas. Em países de dimensões continentais como o Brasil, sabemos que há diferenças importantes em preferências olfativas se comparamos o Sul com o Norte, o Nordeste com o Sudeste e assim por diante. 


Revista Espuma – Como é o trabalho da equipe de desenvolvimento e pesquisas da Firmenich?

Hernane Henrique - A Firmenich investe anualmente 10% de seu faturamento global em pesquisa e desenvolvimento. Esse investimento, associado às ferramentas de inovação em Marketing, Desenvolvimento Olfativo e Consumer Insights formam a base de nosso processo criativo, que pelas mãos (e narizes) de nossos mais talentosos perfumistas se transformam em best sellers. Temos hoje uma estrutura global de trabalho atuando de forma colaborativa em todas as regiões, o que nos permite manter o ritmo acelerado de inovação demandado pelos consumidores.
 

Revista Espuma –  Quais são as referências usadas pela empresa para desenvolver as suas fragrâncias? Como mantém os seus profissionais atualizados e os capacitados?

Hernane Henrique - A Firmenich sempre responde às necessidades dos clientes com o que há de mais moderno em ingredientes e moléculas captivas. Graças às nossas inovadoras ferramentas de prospecções de tendências, como por exemplo TRENZR - que usamos para "enxergar" o futuro da indústria ao traduzir movimentos sociais e comportamentais em oportunidades para os nossos clientes, antes mesmo destes movimentos se tornarem uma referência de moda e consequentemente olfativa. Além disso, possuímos um programa vivo de atualização e capacitação de nossos profissionais, buscando disseminar o conhecimento entre todos os colaboradores, pois acreditamos que cada um de nossos profissionais têm a capacidade e sensibilidade para gerar novas ideias e oportunidades para nossos clientes.

Revista Espuma –  Quais são os principais desafios enfrentados no desenvolvimento das fragrâncias? Como a empresa supera estes obstáculos?

Hernane Henrique - Os principais desafios para a criação de uma nova fragrância estão em encontrar o equilíbrio ideal entre inovação e tradição da categoria, o esperado e o inesperado. Temos um time completo de Desenvolvimento com FDM’s (Fragrance Development Managers) e Perfumistas baseados no Brasil para todas as categorias e com profundo conhecimento dos consumidores e do mercado. Todos trabalham de maneira integrada com os times internacionais, compartilhando conhecimento e as boas práticas de cada país, o que contribui para um aprendizado constante e consequente evolução de nossas ferramentas e processos de inovação.
 
Revista Espuma –  Quais as expectativas e projeções para o mercado brasileiro em 2017?

Hernane Henrique - Sempre acreditamos muito na resiliência e criatividade do povo brasileiro, e isso se reflete na forma como as marcas têm se adequado ao difícil momento econômico que vivemos principalmente nos últimos dois anos. Muitas categorias de produtos deixaram de crescer e outras até mesmo encolheram. Mas, a Firmenich nunca deixou de acreditar e investir no Brasil. As perspectivas para 2017 são mais positivas e estaremos prontos com novos produtos, novas ferramentas e novas soluções para os nossos clientes.

Por Lia Freire
PUBLICAÇÃO EXCLUSIVA DA REVISTA ESPUMA - EDIÇÃO SETEMBRO-OUTUBRO 2016.