28 maio, 2018
por Daniel Geraldes
24
11463

Extrusoras – Investimentos para atender e surpreender o mercado

Fabricantes de extrusoras têm investido continuamente para oferecer à indústria brasileira de ração animal, o que há de mais revolucionário e eficiente.

Quando nos deparamos com uma ração extrusada de qualidade, tenha certeza que um dos responsáveis por este feito está no processo de extrusão de excelência. E, como o mercado está cada vez mais exigente, todos os anos importantes investimentos em novas tecnologias de concepção e processos são realizados pelos fornecedores de extrusoras.

A Ferraz Máquinas é uma destas empresas que continuamente investe em novidades e aprimoramentos. Para 2018 está com diversos investimentos em sua planta industrial, como a instalação de um novo prédio, que possibilitará aumentar a produção, bem como, armazenar de forma mais apropriada os equipamentos. A empresa de Ribeirão Preto (SP) também está terminando uma central de experimentos, que contará com uma pequena fábrica de ração, equipada como todos os maquinários necessários para o seu funcionamento. “Além disso, em 2017 investimos em máquinas operatrizes computadorizadas para agilizar a fabricação e a qualidade de matrizes para extrusoras, melhorando o prazo de atendimento e oferecendo mais qualidade em nossos produtos”, destaca o Diretor da empresa, José Luiz Ferraz.

O executivo destaca o avanço tecnológico nas extrusoras de roscas duplas. “Elas produzem rações Premium e Super Premium com muito mais qualidade e perfeição em seus formatos. Para as rações multicoloridas, que têm uma demanda bastante significativa no mercado brasileiro, oferecemos um sistema que facilita a sua produção, proporcionando uma grande economia de tempo e recursos na produção. Além disso, nós temos avançado na automação do processo de extrusão, já tendo instalado sistemas de controle e informações do processo que permitem um completo monitoramento do sistema”, explica José Luiz.

O executivo da Ferraz Máquinas lembra que a empresa não se limita a oferecer o que há de melhor em extrusora, fornecendo todas as soluções para o pleno funcionamento de uma planta de alimentos extrusados, por essa razão, cita os recobridores que trabalham sob atmosfera de vácuo. “Vários equipamentos já estão trabalhando neste sistema, permitindo a produção de rações Premium e Super Premium de melhor qualidade, gerando economia ao cliente e uniformidade nos produtos. Vale também destacar que estamos importando robots para paletização, eliminando nesta fase uma expressiva quantidade de funcionários”, esclarece José Luiz.

Quem também vem realizando importantes investimentos para produzir os melhores equipamentos para a fabricação de rações extrusadas é a Manzoni. A empresa investiu U$ 100.000,00 em softwares CAD/CAM e ferramentais utilizados para projetar e fabricar itens para extrusoras mono e dupla rosca e em sistemas de formatação micro pellet especialmente para o segmento de camarões e piscicultura. “Em 2018 faremos novos investimentos em melhorias e aprimoramento nos softwares de automação e no monitoramento dos nossos equipamentos”, adianta o executivo da Manzoni Industrial, Luciano Manzoni.

Luciano afirma que o mercado busca linhas que produzam cada vez mais, com menos consumo de energia, menor tempo de paradas de manutenção, além de alto nível de automação que permita um gerenciamento da produção em tempo real. “Procuramos desenvolver extrusoras com essas características, como é o caso da MEX-10000, um equipamento que permite produzir rações Standard até Super Premium (este último, um nicho de mercado que é extremamente lucrativo, porém com uma dificuldade técnica de fabricação bastante elevada), garantindo a qualidade e mantendo uma produtividade elevada. E, para facilitar ainda mais a gestão da produção, a cada 24 horas o cliente recebe de forma automática e por e-mail um relatório de produtividade, lotes de produção, alarmes e falhas”, exemplifica Luciano.

 

Automação e segurança alimentar

 

O Diretor de Vendas da Wenger, José Mauricio Bernardi, lembra que a automação e a segurança de alimentos são mundialmente os dois tópicos mais relevantes nos dias de hoje, e, portanto, os avanços tecnológicos nas extrusoras da empresa estão voltados para este foco. Por essa razão, a empresa investiu em extrusoras com novo design que evita contaminação na linha; também desenvolveu um novo sistema de injeção de vapor e água no pré-condicionador e este conta com avanços tecnológicos para propiciar uma mistura mais homogênea. Também foram acrescidas leituras “in line” de densidade, umidade e atividade de água e suas interações com a linha de extrusão. “Em nosso portfólio destaco a extrusora térmica de rosca dupla, que é, sem dúvida, uma tendência mundial para vários tipos de alimentos pet. Além de proporcionar uma utilização de energia mais eficaz, a produção de alguns produtos neste equipamento é única”, explica José Mauricio, acrescentando que a Wenger está preparada para solucionar todas as requisições e particularidades dos clientes, com o suporte da engenharia e técnicos especializados. “A Wenger está preparada para atender o mercado brasileiro e da América Latina, com sua nova fábrica em Valinhos (SP). Também temos nosso Centro Tecnológico em Sabetha (USA) que está à disposição dos nossos clientes para o desenvolvimento de novos produtos e formulações exclusivas.”

Em busca da melhor relação capacidade x potência

“A relação capacidade x potência tem se revelado um fator importante, principalmente sob o aspecto econômico, frente ao custo de energia elétrica”, observa Antonio P. Rubega, diretor da empresa Promep, que por essa razão destaca no seu portfólio, a extrusora com capacidade entre 10 e 12 toneladas por hora, que opera com uma potência de 300 CV no seu motor principal. “Os produtos resultantes de sua operação apresentam densidades e valores de digestibilidade desejados pelo mercado, com custos operacionais bem interessantes. Temos investido no desenvolvimento de melhorias que levam aos resultados citados, como por exemplo, o dispositivo para ajuste de densidade do produto extrusado sem necessidade de parada da máquina para as mudanças de configuração do canhão de extrusão ou da troca de componentes de restrição responsáveis pela densidade do produto extrusado. A Promep mantém-se atenta e disponível para auxiliar os clientes que procuram as melhorias operacionais que possam fortalecer os atributos de qualidade de seus produtos”, exemplifica.

Equipamentos de qualidade com investimentos acessíveis

Para atender as pequenas e médias empresas que buscam equipamentos de qualidade, mas que necessitam de flexibilidade e investimentos acessíveis é que foi criada a empresa Maverick Development Group, uma divisão da Wenger Manufacturing. São extrusoras com capacidade que varia entre 4 e 10 toneladas/hora, mantendo a tradição do grupo, em oferecer o melhor para uma produção eficiente e com baixo custo de produção e manutenção.

As mais recentes novidades em extrusoras são as versões MVK6K e a MVK10K. “Elas utilizam sistemas avançados, com condicionadores de última geração, visando possibilitar aos clientes a melhor experiência na produção de alimentos para animais de estimação, sendo possível utilizar uma grande variedade de matérias-primas com resultados que atendam todos os requisitos de qualidade que são exigidos no mercado mundial”, ressalta o Vice-Presidente de Vendas América-Latina da Maverick, Claudio Mathias, explicando ainda que após superar um ciclo econômico difícil, no Brasil, a empresa pretende aumentar a presença no mercado nacional, assim como em toda a América Latina. “O mercado de pet continua demonstrando ser forte e com previsões de crescimento. Para tanto, a qualidade dos produtos são essenciais e, consequentemente,  torna-se necessário realizar constantes melhorias nos processos de fabricação.”

 

Alta performance e rendimento diferenciado

Investir no desenvolvimento de novos projetos e em tecnologia de ponta para que os equipamentos possam fornecer rendimento diferenciado aos clientes é o propósito da Tecnal, que está no mercado há mais de quatro décadas. Recentemente, a empresa investiu na ampliação e revitalização das suas instalações, modernizando a sua infraestrutura. Também adquiriu modernas ferramentas, dentre elas, máquinas de corte laser (CNC), centros de usinagem e tornos (CNC) que aumentam a produtividade e a qualidade na fabricação dos equipamentos. “Para o setor pet food, focamos no desenvolvimento de novas tecnologias e em materiais que propiciem maior durabilidade às peças. Destaco a extrusora de alta performance EAP com capacidade que varia de 3 a 15 ton/h, fabricada em materiais especiais de alta qualidade, proporcionando maior durabilidade/vida útil aos componentes; excelente capacidade produtiva e facilidade de manutenção das roscas que têm a forma construtiva projetada para que sejam facilmente removidas no momento da substituição”, exemplifica o Gerente Comercial da Tecnal, Jeferson de Oliveira.

A empresa vem realizando investimentos pesados e acredita que o Brasil deva retornar o rumo do crescimento no mercado interno e, consequentemente, deva ocorrer maior movimentação da economia, proporcionando aumento nos investimentos. “Estamos nos preparando para aumentar a capacidade de fornecer equipamentos de qualidade aos parceiros atuais e abertos a novas parcerias, com ótimas expectativas para 2018”, planeja Jefferson.

Fonte: Revista Pet Food – publicação exclusiva – Edição Jan/Fev 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Graxaria
  • Óleos e Gorduras
  • Pet Food
  • Aqua Feed
  • Animal Feed
  • Espuma
Aguarde...

Cadastre-se

Aguarde...

Esqueci minha senha

Aguarde...
Translate »