11 maio, 2021
por Daniel Geraldes
141
324

“Importância do Premix Mineral Vitamínico para vacas leiteiras”

“Importância do Premix Mineral Vitamínico para vacas leiteiras”

MSc, Pietro Farsoun Pirozzi
Médico Veterinário, Mestre em Nutrição de ruminantes
Proprietário da fábrica de ração Pietro nutrição animal
Fazenda Ycambi – Mun. Caratinga-MG

Premix é uma palavra da língua inglesa que significa pré-mistura. Na formulação de concentrados destinados a nutrição animal, a pré-mistura se faz necessária, devido as pequenas quantidades de alguns ingredientes minerais e vitamínicos, utilizados na fórmula da ração. Essa pré-mistura permite que sejam adicionadas pequenas quantidades de um ingrediente, favorecendo a homogeneização no produto final, em relação a adição desse ingrediente puro.

Para exemplicar, vamos usar a Vitamina A: se eu fórmula uma ração para vacas em lactação com 8.000 UI de vitamina A por kg de ração, em uma tonelada de ração necessito incluir 8.000.000 UI de vitamina A para que no produto acabado eu tenha 8.000 UI/kg (8.000.000 UI/1.000 kg de concentrado = 8.000 UI/kg). A vitamina A comumente utilizada na indústria, possui 1.000.000 UI/g, nesse caso exemplificado, necessito de 8 g para cada 1.000 kg de ração. Se eu adicionar 8 g em 1.000 kg de ração, sem uma pré-mistura (Premix) a qualidade da mistura final será comprometida.

A utilização dos Premixes, permite misturas mais homogêneas e confiáveis na produção as rações e concentrados.

Existem vários tipos de Premix para vacas de leite em lactação. Premix mineral: mistura de micro minerais; Premix Vitamínico: mistura de vitaminas; Premix Mineral Vitamínico: mistura de micro minerais e vitaminas; Premix Mineral Vitamínico com Aditivos: mistura de micro minerais e vitaminas, acrescidos de aditivos.

Um exemplo clássico de Premix Mineral Vitamínico para vacas de leite em lactação é composto por Cobalto, Cobre, Ferro, Iodo, Manganês, Selênio, Zinco, Vitamina A, Vitamina D e Vitamina E. Como podemos ver, temos sete micro minerais e três vitaminas.

Para se produzir um Premix, são necessários além dos ingredientes micro minerais e vitaminas, a presença de um veículo. A inclusão de Premix na ração, pode variar em média de 0,5 a 4,0 kg por tonelada de ração (concentrado). Como as quantidade de micro minerais e vitaminas adicionadas no Premix são muito pequenas, são utilizados veículos para permitir uma diluição e uma melhor qualidade de mistura, já que são adicionadas quantidades muito pequenas nas rações. Os veículos mais utilizados nos Premixes são, Caulim, Casca de arroz finamente moída e Calcário Calcítico. Os veículos devem permitir a melhor fluidez, terem baixa capacidade higroscópica, estarem moídos numa granulometria que permita a mistura perfeita dos ingredientes e serem o mais inertes possível.

Todo Premix que contiver vitaminas, deve conter um antioxidante ou um blend de antioxidantes, ou seja, uma mistura de vários antioxidantes que trabalham, sinergicamente. Os mais utilizados são B.H.T., B.H.A., Propilgalato. Como as vitaminas estão sujeitas à oxidação, que gera perda parcial da vitaminas, os antioxidantes previnem ou diminuem essa perda. Geralmente a quantidade de antioxidante inclusa no Premix é suficiente apenas para proteger o Premix enquanto estiver armazenado, e não possui quantidade suficiente para proteger a ração (concentrado), depois que o Premix foi adicionado. È importante se informar com o fabricante do seu Premix sobre se a quantidade presente no Premix é suficiente para proteger a ração (concentrado) do processo de oxidação.

Um fato importante a ser levado em consideração em rações peletizadas, que serão submetidas a calor e umidade, é a perda ocorrida no processo. Yang et al (2020), mediram a perda das vitaminas A, D3 e E, após o processo de peletização com temperatura de 65ºC e, tempo de 60 segundos e com umidade de 12%. As perdas chegaram à 6,75 %, 15,58 % e 4,85%, vitaminas A, D3 e E, respectivamente. Isso deve ser levado em consideração, em relação aos níveis de garantia do produto.

Na escolha do Premix Mineral Vitamínico, é fundamental conhecer as fontes dos micro minerais, pois existem grandes diferenças na questão de biodisponibilidade, ou seja, o quanto do que a vaca ingeriu do mineral, ela consegue absorver e metabolizar.

As principais fontes de Iodo e Selênio, são altamente biodisponíveis. Fontes principais de Iodo são o Iodato de Cálcio e Iodato de Potássio. As fontes mais utilizadas de selênio são Selenato e Selenito de Sódio. A fonte de Cobalto mais utilizada e com alta biodisponibilidade é o Sulfato de Cobalto.

As fontes de micro minerais que mais temos que observar são:

1 – Ferro:

– Sulfato de Ferro: alta biodisponibilidade.
– Carbonato de Ferro: baixa biodisponibilidade.

2 – Manganês:

– Sulfato de Manganês: alta biodisponibilidade.
– Óxido de Manganês: intermediária biodisponibilidade.

3 – Cobre:

– Sulfato de Cobre: alta biodisponibilidade.
– Carbonato de Cobre: intermediária biodisponibilidade.
– Cloreto de Cobre: intermediária biodisponibilidade.
– Óxido de Cobre: muita baixa biodisponibilidade.

4 – Zinco:

– Sulfato de Zinco: alta biodisponibilidade.
– Carbonato de Zinco: alta biodisponibilidade.
– Cloreto de Zinco: intermediária biodisponibilidade.
– Óxido de Zinco: intermediária biodisponibilidade.

Fonte: Adapted from Hemken, 1994 KY Ruminant Nutrition Workshop Proceedings

Diante do exposto, na hora de escolher qual Premix utilizar em sua fábrica, além de optar por comprar de empresas idôneas, observar quais fontes de micro minerais se encontram na composição básica do produto, optando sempre por aqueles ingredientes que possuam biodisponibilidade mais alta.

Em relação aos aditivos que podem ser inclusos nos premixes, são os mais variados possíveis, desde ionóforos, Sacharomyces cerevisiae (levedura viva), Biotina (vitamina H), prebióticos e probióticos entre outros. A inclusão depende da finalidade da ração e do seu nível tecnológico. Esses aditivos podem vir no Premix ou serem comprados separadamente pelo fabricante.

Os micro minerais e as vitaminas A, D e E, que não são sintetizadas pelo microbiota ruminal, são de fundamental importância para inúmeros processos metabólicos e enzimáticos das vacas de leite, interferindo diretamente na imunidade, reprodução, produção e qualidade do leite, saúde dos cascos entre outros. Trabalhar com um Premix de qualidade, com micro minerais com alta biodisponibilidade, com vitaminas de qualidade e nas quantidades adequadas para a categoria de animal a qual é destinada, pode fazer toda a diferença entre bons resultados e resultados medianos ou baixos.

PUBLICAÇÃO EXCLUSIVA DA REVISTA INGREDIENTES & NUTRIENTES NUTRIÇÃO ANIMAL.
PROIBIDO A REPORDUÇÃO TOTAL OU PARCIAL SEM AUTORIZAÇÃO DA EDITORA STILO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Graxaria
  • Óleos e Gorduras
  • Pet Food
  • Aqua Feed
  • Animal Feed
  • Espuma
Aguarde...

Cadastre-se

Aguarde...

Esqueci minha senha

Aguarde...
Translate »
×

Olá, como posso te ajudar?

Clique abaixo para falar conosco pelo WhatsApp.

× Como posso te ajudar?