5 set, 2019
por Daniel Geraldes
93
166

Kemin Nutrisurance investe em soluções naturais

Empresa se empenha na inovação, visando uma alimentação que seja segura, com maior valor nutricional e palatável para os animais de estimação

Há quase seis décadas a Kemin fornece ingredientes para a alimentação de animais de estimação. Essa expertise somada a evolução e novas demandas na nutrição animal exigiu que a companhia norte-americana reposicionasse a sua abordagem, criando em 2000 uma divisão específica para Pet Food e Rendering, a Kemin Nutrisurance, que se tornou uma unidade mundial de negócios.

Com unidades fabris em quatro continentes e equipes globais de vendas, a Kemin oferece uma extensa gama de soluções antioxidantes naturais e sintéticas, sempre adaptadas aos mercados locais.

Na década de 90, lançou o antioxidante natural, NATUROX com uma formulação única de tocoferóis mistos, delta tocoferóis e emulsificantes. Em 2012 um outro marco foi a linha VERDILOX, uma associação de tocoferóis e ingredientes sustentáveis de origem botânica. Mais recentemente foram lançados o HYBRILOX uma solução de estabilização livre de etoxiquina, BHA e BHT; e novas variáveis da linha NATUROX, mais adequadas aos desafios do tratamento de farinha de peixe. “Estamos comprometidos com a inovação contínua dos nossos produtos. A percepção do consumidor é que os alimentos naturais para seus animais de estimação são mais saudáveis porque oferecem nutrição superior, maior frescor e qualidade, razão pela qual investimos nessas soluções”, afirma o Presidente Global da Kemin Nutrisurance, David Raveyre.

Revista Pet Food Brasil – Como está a transição dos antioxidantes sintéticos para os naturais nos Estados Unidos e Europa?

David Raveyre – Em busca de uma alimentação ainda melhor e mais equilibrada para os seus pets, os tutores norte-americanos estão predispostos a gastar mais em produtos de alta qualidade, o que acaba por alavancar o segmento Super Premium e, consequentemente, os antioxidantes naturais, evitando os ingredientes que trazem insegurança ou preocupação com a saúde e bem-estar. Cerca de 95% dos tutores de animais, nos EUA, consideram o animal como parte de sua família e 66% acreditam que os alimentos corretos podem melhorar a qualidade de vida de seus animais de estimação, por isso o mercado norte-americano de Pet Food continua a ser influenciado pela humanização dos animais de estimação. Na Europa há uma crescente tendência pelos alimentos naturais e forte preocupação com a segurança dos aditivos sintéticos.

Revista Pet Food Brasil – E no Brasil, qual é a realidade e expectativa?

David Raveyre – No Brasil, a crescente tendência de humanização dos animais de estimação também é uma realidade e contribuiu para alavancar o mercado Premium de Pet Food, impulsionando o uso de antioxidantes naturais. Os dados do Euromonitor apontam para um cenário bastante favorável: 49% das famílias brasileiras têm um cachorro e 21% possuem um gato; o Brasil continua dominando as vendas de alimentos para a América Latina, respondendo atualmente por 2/3 das vendas da região, seguido do México, Venezuela, Colômbia, Chile e Argentina. Além disso, há um crescimento contínuo onde o Brasil já representa o segundo maior mercado mundial de alimentos para animais de estimação (US$ 4,8 bilhões) e mostra um aumento projetado em 4,2% para o período 2016-2022, segundo a taxa CAGR – Compound Annual Growth Rate (Crescimento Anual Composta).

Revista Pet Food Brasil – Há tocoferol suficiente para possibilitar a transição global de aditivos sintéticos para naturais? Qual é a estratégia adotada pela Kemin para suportar essa tendência?

David Raveyre – Antes de falarmos como nos posicionaremos para atender o mercado é importante lembrarmos que à medida que a indústria evolui para o uso de gorduras mais insaturadas, aumenta a necessidade de alternativas aos antioxidantes à base de tocoferol. Para garantirmos o fornecimento dos aditivos naturais, adotamos duas importantes medidas: nos últimos cinco anos dobramos o número de fornecedores de tocoferol e firmamos parceria com a nossa unidade de negócios Specialty Crop Improvement (SCI) para identificar novas moléculas provenientes de extratos botânicos. Selecionamos os extratos que apresentaram os melhores desempenhos em relação à atividade antioxidante para atender com eficácia as necessidades de estabilização dos fabricantes de alimentos para animais de estimação e dos fabricantes de subprodutos de origem animal.

Revista Pet Food Brasil – Por que os extratos de plantas como alecrim não podem ser identificados nos rótulos como um antioxidante natural? Qual o posicionamento da Kemin em relação a isto?

David Raveyre – Extratos de plantas, incluindo de alecrim, são aprovados apenas como aromatizantes na lista positiva do MAPA, mas recentemente a ANVISA aprovou rotular o alecrim como um antioxidante, por isso, é possível sua futura inclusão perante o MAPA. De qualquer forma, infelizmente não temos uma clara definição do que é “natural” no Brasil.

Revista Pet Food Brasil – Podemos esperar uma estabilidade satisfatória com os antioxidantes naturais?

David Raveyre – Desde 1992 somos líderes em fornecer soluções em antioxidantes naturais para ajudar a prolongar o frescor dos alimentos para animais de estimação. Já apoiamos e orientamos centenas de clientes no desenvolvimento de programas de estabilização com antioxidantes naturais por meio de nossa equipe técnica especializada, laboratório de serviços ao cliente e engenharia de aplicação de produtos.

Nos últimos 20 anos foi comprovado que o shelf life estabelecido pela indústria pode ser atendido com os antioxidantes naturais. Porém, os naturais não precisam, necessariamente, atender o shelf life obtido com as dosagens regulamentares de antioxidantes sintéticos, já que a legislação na América do Sul permite uma alta dosagem destes antioxidantes, o que pode acarretar num shelf life maior do que os fabricantes de pet food necessitam.

Uma dica para os fabricantes de alimentos é analisar os custos das atuais práticas de aplicação dos antioxidantes sintéticos versus a quantidade e os custos dos antioxidantes naturais necessários para o shelf life desejado e, então, perceber e entender a diferença.

Revista Pet Food Brasil – É necessária alguma embalagem diferenciada quando são usados os antioxidantes naturais?

David Raveyre – Não. Assim como no caso do uso dos antioxidantes sintéticos, nos naturais não há exigências específicas quanto às embalagens.

Revista Pet Food Brasil – O que levou a transição do SAOX (antioxidantes sintéticos) para o NAOX (antioxidantes naturais) nos EUA?

David Raveyre – Primeiro teve início a preocupação com o etoxiquim, recentemente banido na Europa, e que na década de 90 tornou-se indesejado nos EUA (o nível aprovado foi reduzido para 75 ppm), devido as preocupações com a segurança humana e dos animais de estimação. Com isso, a consciência e sensibilidade do consumidor em relação aos aditivos químicos sintéticos aumentou. Foi então que empresas que produzem pet food Super Premium aproveitaram as restrições ao etoxiquim e a humanização dos pets para investirem nas soluções naturais.

Revista Pet Food Brasil – Quais são os diferenciais oferecidos pela Kemin?

David Raveyre – Somos um dos poucos fornecedores de extratos botânicos com estrutura verticalmente integrada, incluindo culturas especializadas como o alecrim e hortelã. Ao longo da cadeia de suprimentos, controlamos as etapas de criação, seleção de plantas, crescimento, colheita e extração dos ativos naturais. Nossos agrônomos estabelecem parcerias com produtores especializados e agricultores familiares em todo o mundo. Essa integração vertical garante que tenhamos consistência em cada lote de produto, para que os clientes possam esperar a mesma eficácia toda vez que adquirirem as soluções da Kemin. Além disso, temos como diferencial a nossa expertise técnica. Os gerentes técnicos estão sempre disponíveis para explicar o modo de ação dos produtos; temos o Departamento de Aplicação de Produto (PAD) que ajuda a desenvolver, fabricar e instalar sistemas de dosagem personalizados e o Laboratório de Serviços ao Cliente (CLS) que fornece análises laboratoriais personalizadas.

Por: Lia Freire
ENTREVISTA EXCLUSIVA DA REVISTA PET FOOD
Proibida publicação parcial ou total sem autorização da Editora Stilo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Graxaria
  • Óleos e Gorduras
  • Pet Food
  • Aqua Feed
  • Animal Feed
  • Espuma
Aguarde...

Cadastre-se

Aguarde...

Esqueci minha senha

Aguarde...
Translate »