18 out, 2017
por Daniel Geraldes
43
1118

Reconhecendo a Importância dos Produtos Processados

Reconhecendo a Importância dos Produtos Processados

Por Tim Juzefowicz, Presidente, World Renderers Organization

Já perguntaram para você ou você já pensou sobre onde e como são usados os produtos processados? Se perguntaram, você soube responder a estas perguntas com conhecimento e confiança sabendo que a explicação expressa a importância destes produtos na vida diária? Será que os funcionários e gerentes da empresa de graxaria compreendem os muitos usos dos produtos desta indústria?

Recentemente, para surpresa de muitos, o sebo foi identificado como ingrediente na produção das notas de cinco libras pelo Banco da Inglaterra.  E mesmo com minha experiência de vinte anos na indústria de graxaria eu não sabia disto.  Colegas da Nova Zelândia mostraram um artigo que dizia “Veganos e vegetarianos ficaram horrorizados quando descobriram que as nota de 5 libras contém sebo”, acompanhado de foto de uma nota sendo tirada de uma carteira de “couro. ” Eu fiquei ainda mais confuso quando descobri que não se incomodavam com a carteira feita de couro animal. Para criar mudança, uma petição com 136.000 assinaturas foi enviada ao Banco da Inglaterra, que agora está pesquisando alternativas para o sebo.

Era um artigo bem equilibrado pois explicava como o sebo é usado na produção de notas como fonte de ácido esteárico para diminuir atrito.  Continuava explicando que sebo pode ser encontrado em uma ampla variedade de produtos de uso diário “incluindo sacos plásticos, artigos de maquiagem (batom, base e maquiagem para os olhos), lápis cera, pneus de bicicletas e velas. ” O autor tentou mostrar uma ampla gama de usos, o que fornece à indústria de graxaria uma oportunidade de defender seus produtos e apreciar sua diversidade. A lista acima é curta e a indústria pode, certamente, expandir esta lista.

Durante o processo de introdução dos funcionários de uma empresa de processamento deve haver a oportunidade de aprender o que é produzido e onde será utilizado. Geralmente, o processo de introdução cobre as políticas e procedimentos da empresa relativos a segurança, meio-ambiente e qualidade, mas será que inclui os vários produtos fabricados e seu uso?

A introdução é o momento ideal para promover a indústria de processamento por meio do treinamento precoce dos funcionários. No caso de funcionários já empregados deve-se cobrir treinamento sobre quais produtos são fabricados e como serão usados. Deve-se incluir também conceitos sobre gorduras e proteínas animais como commodities valiosas na fabricação de muitos produtos custo-eficientes.

Todos os dias, em todo o mundo, grandes quantidades de subprodutos animais são eficientemente coletadas e eficazmente processadas. É crítico que toda matéria prima coletada seja processada tão rapidamente como possível pois é um produto perecível.  O processamento tipo “fresco é melhor” levará à produção de um produto final de melhor qualidade.

O critério mais importante da indústria de graxaria é fabricar produtos que sejam seguros e adequados para sua finalidade. O processamento é realizado na maioria dos países do mundo e a indústria é considerada como fabricante de produtos que contribuem para a agricultura animal sustentável e verdadeira reciclagem, essencial para proteção do meio ambiente e necessária para a saúde humana e animal.

A indústria de graxaria é muito controlada por regulamentos do governo e códigos de prática que determinam os critérios específicos dos padrões de fabricação que se aplicam a cada país. Requisitos de importação também determinam a capacidade de fornecer produtos processados a um país. De um modo geral, estes regulamentos especificarão condições de operação da planta de graxaria, considerando o produto fabricado, o meio ambiente e a saúde e segurança das pessoas que trabalham nas instalações.

A indústria de graxaria teve sucesso ao defender a tese de que se os subprodutos animais não fossem processados grandes quantidades de carbono, nitrogênio e fósforo, presentes nos subprodutos, contribuiriam para a liberação de gases efeito estufa como emissões de metano e dióxido de carbono, sobrecarga do solo e contaminação da água. E assim já foi bem definido que o processamento de subprodutos animais diminui significativamente as emissões ambientais e é realmente sustentável

Existem diferentes tipos de plantas de processamento em todo o mundo e muitos desenhos de processos que usam vários equipamentos de combinação de tempo, temperatura e pressão para processar a matéria prima. Entre as inúmeras etapas do processo envolvido estão:

· Tratamentos a calor da matéria prima para destruir patógenos (como bactérias, vírus, protozoários e parasitas) e criar separação de fases entre sólidos, água e gordura;

· separação de gordura, água e sólidos;

· secagem de sólidos e purificação de gorduras e óleos;

· trituração de sólidos para formar uma farinha.

É de maior interesse para o processador a instalação da planta de processamento o mais eficiente possível para aliviar problemas que podem surgir para saúde, segurança, meio ambiente e qualidade dos produtos.

Muitos do grande público ignoram que produtos processados são usados na fabricação de uma longa lista de produtos importantes: ração animal, alimentos para pets, ração para aquicultura, gorduras e óleos comestíveis, pomadas, biodiesel, fertilizante, sabões, tintas, vernizes, cosméticos, produtos farmacêuticos, creme de barbear, desodorante, lápis de cera, couro (por exemplo,  bolsas, assentos de carros, móveis), lubrificantes, compostos para selamento, velas, produtos de limpeza, perfumes, polidores, produtos de borracha, plásticos, fertilizantes agrícolas, explosivos e muitos mais.  A promoção desta ampla lista é uma oportunidade para a indústria de graxaria.

As matérias primas coletadas e processadas são originárias da indústria de carne onde bovinos, carneiros, aves, porcos e peixes são manipulados por abatedoras, processadoras de aves, salas de desossa, açougues, processadoras de peixes, supermercados/mercados, processadoreas de couros e peles.  As matérias primas incluem gordura, ossos, aparas, miúdos, sangue, materiais de armazéns, produtos retirados, animais mortos na chegada ou em trânsito e penas. Óleo de cozinha usado também é processado pela indústria de graxaria.

O processamento é uma indústria sustentável e com responsabilidade ambiental e deve ser considerado como um processo industrial essencial pois fornece serviço de reciclagem à indústria de carne ajudando a proteger a sociedade e o meio ambiente. Ainda que a indústria de graxaria seja uma “indústria invisível” para alguns, é importante que clientes, reguladores e o grande público reconheçam que os processadores conduzem seus negócios sob exigentes controles governamentais e veterinários. Mais ainda, os temas específicos tratados pelos processadores são idênticos aos tratados pela Organização Mundial de Saúde Animal (World Organization for Animal Health) ou OIE e a Organização de Alimentos e Agricultura (Food and Agriculture Organization -FAO) ao focalizar a segurança alimentar e prevenção de doenças animais.

Para mais informações sobre este tópico contate o autor, Tim Juzefowicz, tim.juzefowicz@csfproteins.com.au ou +61 418 170 583 (Austrália).

PUBLICAÇÃO EXCLUSIVA DA REVISTA GRAXARIA – ED. JUL/AGO 2017

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Graxaria
  • Óleos e Gorduras
  • Pet Food
  • Aqua Feed
  • Animal Feed
  • Espuma
Aguarde...

Cadastre-se

Aguarde...

Esqueci minha senha

Aguarde...
Translate »