11 jan, 2018
por Daniel Geraldes
18
2084

Retrospectiva da pecuária em 2017 marca ano difícil ao setor, aponta Cepea

Pesquisadores classificam como um período de aprendizado no mercado interno.

O setor pecuário já esperava um ano de dificuldades, sobretudo relacionadas às vendas internas – que poderiam se enfraquecer diante do contexto político e econômico nacional – e à maior oferta de animais, resultado de investimentos em anos recentes. No entanto, agentes do mercado não imaginavam que desafios ainda maiores seriam enfrentados pela pecuária nacional em 2017. No balanço, foi um ano para ser esquecido, mas também para o setor levar como aprendizado, conforme indicam pesquisadores do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea, Esalq/USP, Piracicaba/SP).

Os acontecimentos referentes à cadeia agroindustrial da carne bovina brasileira se somaram às dificuldades que já vinham sendo enfrentadas pelo setor, impactando diretamente sobre os valores da arroba e da carne. Com isso, os preços do boi gordo, da carne e também do bezerro caíram em boa parte do ano, com certa recuperação sendo verificada no último quadrimestre. Segundo pesquisadores do Cepea, esse fôlego no final do ano mostrou a capacidade de reorganização e de resposta da cadeia aos problemas enfrentados, o que pode indicar o desenvolvimento do setor.

Em 2017, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa do boi gordo se manteve abaixo do de 2016 em praticamente todo o ano e inferior ao de 2015 em boa parte do período. A média do Indicador em 2017, de R$ 138,80, foi 9,22% inferior à de todo o ano de 2016, em termos nominais – em termos reais (considerando-se a inflação do período), a queda ainda é mais intensa, de 10%. A maior média mensal do Indicador, em termos nominais, foi registrada em janeiro, de R$ 148,39. Já a menor, de R$ 124,50, foi verificada em julho, conforme dados do Cepea.

A carne, por sua vez, até chegou a superar os valores dos anos anteriores em alguns momentos de 2017. Assim como o mercado de boi, a maior média mensal da carne foi registrada em janeiro (de R$ 10,14/kg) e a menor, em julho (R$ 9,13/kg), em termos nominais – considerando-se os dados do Cepea levantados no mercado atacadista da Grande São Paulo. No balanço do ano, o preço médio da carcaça casada de boi, de R$ 9,70, ficou 1,8% abaixo da de 2016 (R$ 9,88/kg), em termos nominais. Vale destacar o forte movimento de queda de 13% entre abril e agosto, quando o quilo da carne saiu dos R$ 10,09 no dia 13 de abril para R$ 8,78 no dia 2 de agosto, o que mostra a dificuldade enfrentada pelo setor nesse ano. Em todo o ano de 2017, os preços do bezerro também estiveram abaixo dos de 2016 e de 2015, em termos nominais.

Mercado externo. A redução no abate de boi gordo por parte do maior player brasileiro em boa parte de 2017 reduziu a oferta de carne no mercado internacional. Esse cenário, por sua vez, fez com que outros grupos nacionais expandissem seus abates e voltassem a operar plantas paradas, elevando suas participações nos mercados doméstico e externo.

Assim, mesmo com os choques internos, mas aproveitando o cenário de oferta instável no mundo, as exportações brasileiras de carne bovina acumulam números positivos. Segundo dados da Secex, de janeiro a dezembro de 2017, os embarques somam 1,21 milhão de toneladas, sendo este o quarto melhor ano da história.

Fonte: Cepea

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Graxaria
  • Óleos e Gorduras
  • Pet Food
  • Aqua Feed
  • Animal Feed
  • Espuma
Aguarde...

Cadastre-se

Aguarde...

Esqueci minha senha

Aguarde...