10 jan, 2018
por Daniel Geraldes
47
12145

Variedade é o Tempero da Pesquisa

Por Jessica Meisinger, PhD, Diretora de Educação, Ciência e Comunicação,
Fundação de Pesquisa em Gorduras e Proteínas

A Fundação de Pesquisa em Gorduras e Proteínas (Fats and Proteins Research Foundation-FPRF) tem duas principais fontes de financiamento. Uma é o Centro de Educação e Pesquisa de Subprodutos Animais na Clemson University com projetos aprovados e financiados na reunião de primavera da fundação, sempre no mês de abril. A segunda fonte é “geral” e aberta aos pesquisadores interessados em realizar estudos que beneficiem a indústria da graxaria. As propostas de pesquisa apresentadas são revisadas e escolhidas para financiamento na reunião de primavera e na Convenção Nacional da Associação Nacional da Graxaria, realizada sempre em outubro. Atualmente, FPRF está financiando quatro projetos.

Um projeto recentemente financiado examinará a “Presença, distribuição e concentração de resíduos no tecido associados à administração de barbitúricos e outros medicamentos comumente usados para a eutanásia do gado” por Dr. Steve Ensley e sua equipe, na Universidade Estadual de Iowa. A mortalidade do gado representa apenas uma pequena proporção da matéria prima destinada ao processamento, mas pode apresentar um risco potencial para os subprodutos destinados a cadeia alimentar.

Atualmente, a distribuição e concentração de barbitúricos em tecidos de gado morto por eutanásia com estes e outros agentes farmacológicos não é bem definida ou compreendida. Este estudo da FRPF pretende determinar aqueles parâmetros em ruminantes, suínos e cavalos tentando definir a estabilidade dos agentes farmacológicos comumente usados sob temperaturas típicas de processamento. O projeto também avaliará a estabilidade de barbitúricos e de outros agentes farmacológicos administrados antes da eutanásia no gado em temperaturas mais de 50 graus acima das temperaturas típicas de processamento, fornecendo dados importantes para os processadores.

O segundo projeto é “Avaliando fatores que afetam Salmonella na gordura de aves” dos Drs. Valentina Trinetta, Greg Aldrich e Cassandra Jones na Universidade Estadual de Kansas. Em raras ocasiões, a contaminação por Salmonella na ração de animais domésticos tem sido ligada à gordura animal processada. Isto pode ser um problema quando a gordura é utilizada na ração de animais domésticos sem passar por um tratamento térmico final. Há muito pouca pesquisa sobre os mecanismos que contribuem para a contaminação da gordura por Salmonella. O objetivo deste projeto é identificar os principais fatores que impactam a presença de Salmonella na gordura animal, o que é indispensável no uso continuado da gordura animal processada pela indústria de ração para pets.

O objetivo do estudo é identificar os papéis da umidade, temperatura de armazenamento, tipo de contaminação e nível de contaminação da concentração de Salmonella spp. com o passar do tempo. Os pesquisadores estão progredindo e terminaram todos os segmentos do experimento utilizando a técnica de inoculação úmida, que imita a contaminação por umidade. Eles partiram para experimentos utilizando uma técnica de inoculação seca que imita a contaminação da fração insolúvel da gordura.

Um terceiro projeto examina o “Efeito de diferentes fontes de gordura e o nível da vitamina E no nível antioxidante, características da carcaça e qualidade da carne de suínos que cresceram para peso pesado de abate” liderado pelo Dr. Merlin Lindemann da Universidade de Kentucky. O projeto avaliará óleo de coco, óleo de milho e sebo em conjunto com suplementação de vitamina E especificada no guia de nutrição do Conselho Nacional de Pesquisa (National Research Council – NCR) e em quantidade maior. A meta é demonstrar que a fonte de gordura suplementar afeta muito a performance e a qualidade da carne suína devido a diferentes perfis dos ácidos graxos nestas gorduras. O projeto provavelmente também mostrará que a exigência de vitamina E estimada no guia NRC é insuficiente para a genética moderna e a necessidade desta vitamina difere de acordo com a gordura suplementar incluída na dieta.

 

Os pesquisadores darão continuidade a este estudo com um projeto examinando os múltiplos níveis de vitamina E no óleo de milho e sebo, para definir quanto necessário para melhorar a qualidade da carne suína em base do tipo de gordura adicionada na dieta. Vitamina E é importante porque pode afetar a oxidação dos lipídios e melhorar a qualidade de carne suína e também aumentar a vida útil do produto. Este projeto é parte de um estudo muito mais amplo financiado pelo Conselho Nacional de Suínos (National Pork Board) examinando a nutrição de suínos de peso elevado e o impacto da nutrição na performance, saúde e qualidade da carne suína.  Pesquisa co-financiada é uma maneira benéfica de alavancar fontes e dividir custos entre associações para projetos de interesse mútuo. Fundos FPRF foram incluídos para adicionar gordura animal ao projeto como uma das fontes de gordura e deve resultar em informações importantes sobre alimentação suplementar de sebo para suínos.

O último projeto ” geral” financiado pela FPRF examinará o “Comportamento de fluxo e revestimento por pulverização durante a produção de farinhas de proteínas processadas” por Aldrich na Universidade Estadual de Kansas. Estas farinhas oxidam se não forem tratadas, portanto a aplicação uniforme de um preservativo antioxidante é importante para manter a qualidade destas farinhas.  A uniformidade do revestimento depende do fluxo da farinha de proteína. O objetivo deste projeto é estudar as características de fluxo dinâmico das farinhas de proteína processadas e medir a uniformidade do revestimento através de técnicas de imagem para conhecer melhor as taxas de fluxo e melhorar a eficiência dos sistemas de revestimento antioxidante.  Até agora a pesquisa determinou que há diferenças nas propriedades de fluxo de farinhas de ave e carne que sugerem que o processo de revestimento deveria der otimizado tendo como base a matéria prima.

 

FPRF iniciou uma nova operação conjunta com a Universidade do Estado de Colorado chamada Aliança para Pesquisa e Inovação nas Indústria de Processamento e de Rações para Pets (Alliance for Research and Innovation in the Rendering and Pet Food Industries), que associa os melhores aspectos do programa geral e um centro de pesquisas. O encontro inaugural em meados de maio contou com a presença de representantes das indústrias de graxaria e de rações para pets e acadêmicos. Discussões sobre desafios, possíveis soluções, tópicos de pesquisa, respostas de curto prazo e oportunidades de longo prazo foram francas, ricas e produtivas.  Reuniões adicionais foram planejadas ao lado de um “webinar” para incluir mais interessados e pesquisadores. Espera-se que este esforço de longo prazo leve a propostas de pesquisa focalizadas que atrairão novos financiamentos e aumentarão o uso de produtos processados em alimentos para pets.

PUBLICAÇÃO REVISTA GRAXARIA – EDIÇÃO SET/OUT 2017.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Graxaria
  • Óleos e Gorduras
  • Pet Food
  • Aqua Feed
  • Animal Feed
  • Espuma
Aguarde...

Cadastre-se

Aguarde...

Esqueci minha senha

Aguarde...
Translate »